domingo, 30 de outubro de 2011

sábado, 29 de outubro de 2011

Sem perdão não existe amanhã




Sem perdão não existe amanhã


Alguém já disse que a família é o lugar dos maiores amores e dos maiores ódios. Compreensível: quem mais tem capacidade de amar, mais tem capacidade de ferir. A mão que afaga é aquela de quem ninguém se protege, e quando agride, causa dores na alma, pois toca o ponto mais profundo de nossas estruturas afetivas. Isso vale não apenas para a família nuclear: pais e filhos, mas também para as relações de amizade e parceria conjugal, por exemplo.

Em mais de vinte anos de experiência pastoral observei que poucos sofrimentos se comparam às dores próprias de relacionamentos afetivos feridos pela maldade e crueldade consciente ou inconsciente. Os males causados pelas pessoas que amamos e acreditamos que também nos amam são quase insuperáveis. O sofrimento resultado das fatalidades são acolhidos como vindos de forças cegas, aleatórias e inevitáveis. Mas a traição do cônjuge, a opressão dos pais, a ingratidão dos filhos, a rixa entre irmãos, a incompreensão do amigo, nos chegam dos lugares menos esperados: justamente no ninho onde deveríamos estar protegidos se esconde a peçonha letal.


Poucas são minhas conclusões, mas enxerguei pelo menos três aspectos dessa infeliz realidade das dores do amar e ser amado. Primeiro, percebo que a consciência da mágoa e do ressentimento nos chega inesperada, de súbito, como que vindo pronta, completa, de algum lugar. Mas quando chega nos permite enxergar uma longa história de conflitos, mal entendidos, agressões veladas, palavras e comentários infelizes, atos e atitudes danosos, que foram minando a alegria da convivência, criando ambientes de estranhamento e tensões, e promovendo distâncias abissais.

Quando nos percebemos longe das pessoas que amamos é que nos damos conta dos passos necessários para que a trilha do ressentimento fosse percorrida: um passo de cada vez, muitos deles pequenos, que na ocasião foram considerados irrelevantes, mas somados explicam as feridas profundas dos corações.

Outro aspecto das dores do amar e ser amado está no paradoxo das razões de cada uma das partes. Acostumados a pensar em termos da lógica cartesiana: 1 + 1 = 2 e B vem depois de A e antes de C, nos esquecemos que a vida não se encaixa nos padrões de causa e efeito do mundo das ciências exatas. Pessoas não são máquinas, emoções e sentimentos não são números, relacionamentos não são engrenagens. É ingenuidade acreditar que as relações afetivas podem ser enquadradas na simplicidade dos conceitos certo e errado, verdade e mentira, preto e branco. A vida é zona cinzenta, pessoas podem estar certas e erradas ao mesmo tempo, cada uma com sua razão, e a verdade de um pode ser a mentira do outro. Os sábios ensinam que “todo ponto de vista é a vista de um ponto”, e considerando que cada pessoa tem seu ponto, as cores de cada vista serão sempre ou quase sempre diferentes. Isso me leva ao terceiro aspecto.


www.MidiaGospel.Com.br - Portal gospel com notícias,música,videos,chat,bate-papo evangélico, pregações e muito mais acesse: www.midiagospel.com.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br
.
Justamente porque as feridas dos corações resultam de uma longa história, lida de maneiras diferentes pelas pessoas envolvidas, o exercício de passar a limpo cada passo da jornada me parece inadequado para a reconciliação. Voltar no tempo para identificar os momentos cruciais da caminhada, o que é importante para um e para outro, fazer a análise das razões de cada um, buscar acordo, pedir e outorgar perdão ponto por ponto não me parece ser a melhor estratégia para a reaproximação dos corações e cura das almas.

Estou ciente das propostas terapêuticas, especialmente aquelas que sugerem a necessidade de re–significar a história e seus momentos específicos: voltar nos eventos traumáticos e dar a eles novos sentidos. Creio também na cura pela fala. Admito que a tomada de consciência e a possibilidade de uma nova consciência produzem libertações, ou, no mínimo, alívios, que de outra maneira dificilmente nos seriam possíveis. Mas por outro lado posso testemunhar quantas vezes já assisti esse filme, e o final não foi nada feliz. Minha conclusão é simples (espero que não simplória): o que faz a diferença para a experiência do perdão não é a qualidade do processo de fazer acordos a respeito dos fatos que determinaram o distanciamento, mas a atitude dos corações que buscam a reaproximação. Em outras palavras, uma coisa é olhar para o passado com a cabeça, cada um buscando convencer o outro de sua razão, e bem diferente é olhar para o outro com o coração amoroso, com o desejo verdadeiro do abraço perdido, independentemente de quem tem ou deixa de ter razão. Abraços criam espaço para acordos, mas a tentativa de celebrar acordos nem sempre termina em abraços.

Essa foi a experiência entre José e seus irmãos. Depois de longos anos de afastamento e uma triste história de competições explícitas, preferências de pai e mãe, agressões, traições e abandonos, voltam a se encontrar no Egito: a vítima em posição de poder contra seus agressores. José está diante de um dilema: fazer justiça ou abraçar. Deseja abraçar, mas não consegue deixar o passado para trás. Enquanto fala com seus irmãos sai para chorar, e seu desespero é tal que todos no palácio escutam seu pranto. Mas ao final se rende: primeiro abraça e depois discute o passado. Essa é a ordem certa. Primeiro, porque os abraços revelam a atitude dos corações, mais preocupados em se (re)aproximar do que em fazer valer seus direitos e razões. Depois, porque, no colo do abraço o passado perde força e as possibilidades de alegrias no futuro da convivência restaurada esvaziam a importância das tristezas desse passado funesto.


Quando as pessoas decidem colocar suas mágoas sobre a mesa, devem saber que manuseiam nitroglicerina pura. As palavras explodem com muita facilidade, e podem causar mais destruição do que promover restauração. Não são poucos os que se atrevem a resolver conflitos, e no processo criam outros ainda maiores, aprofundam as feridas que tentavam curar, ou mesmo ferem novamente o que estava cicatrizado. Tudo depende do coração. O encontro é ao redor de pessoas ou de problemas? A intenção é a reconciliação entre as pessoas ou a busca de soluções para os problemas? Por exemplo, quando percebo que sua dívida para comigo afastou você de mim, vou ao seu encontro em busca do pagamento da dívida ou da reaproximação afetiva? Nem sempre as duas coisas são possíveis. Infelizmente, minha experiência mostra que a maioria das pessoas prefere o ressarcimento da dívida em detrimento do abraço, o que fatalmente resulta em morte: as pessoas morrem umas para as outras e, consequentemente, as relações morrem também. A razão é óbvia: dívidas de amor são impagáveis, e somente o perdão abre os horizontes para o futuro da comunhão. Ficar analisando o caderno onde as dívidas estão anotadas e discutindo o que é justo e injusto, quem prejudicou quem e quando, pode resultar em alguma reparação de justiça, mas isso é inútil – dívidas de amor são impagáveis.

Mas o perdão tem o dia seguinte. Os que recebem perdão e abraços cuidam para não mais ferir o outro. Ainda que desobrigados pelo perdão, farão todo o possível para reparar os danos do caminho. Mas já não buscam justiça. Buscam comunhão. Já não o fazem porque se sentem culpados e querem se justificar para si mesmos ou para quem quer que seja, mas porque se percebem amados e não têm outra alternativa senão retribuir amando. As experiências de perdão que não resultam na busca do que é justo desmerecem o perdão e esvaziam sua grandeza e seu poder de curar. Perdoar é diferente de relevar. Perdoar é afirmar o amor sobre a justiça, sem jamais sacrificar o que é justo. O perdão coloca as coisas no lugar. E nos capacita a conviver com algumas coisas que jamais voltarão ao lugar de onde não deveriam ter saído. Sem perdão não existe amanhã.


Autor: Pastor Ed René Kivitz

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

diamante

"É de lutas e provas que se faz um vencedor"

domingo, 23 de outubro de 2011

As Aparências Enganam

Mateus- 16: 6 - E Jesus disse-lhes: Vede, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.


O Fermento: Um símbolo representando o mal da corrupção, referente aos falsos ensinamentos dos fariseus e saduceus: homens religiosos, no tempo da Lei em Moisés.

Jesus Cristo advertiu… Avisa, admoesta, usar de cuidados.

Mateus- 7: 15- Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.

Jesus chama de “Fermento” deles, porque até mesmo uma mínima quantidade, pode afetar um grande número de pessoas influenciadas em acreditar em coisas erradas.

Marcos- 8: 15 - E ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes.

As tradições religiosas as quais são descartadas pelos mandamentos de Deus, como simples lavar de mãos, vestimentas com franjas compridas, rituais, orações em praças públicas, que falam do exterior, são aparências que mostram religiosidade aos homens. Que falham no seu interior, não tendo “Misericórdia,” ou seja, amor ao próximo que está se perdendo.

O Fermento de Herodes, saduceus; espírito secularistas, pessoas que pregam idéias humanas, tradições sem base Bíblica, ou um Evangelho secular humanista, de facilidades, sem renúncias,

Um Evangelho inchado, com malícias e maldades, um contraste à sinceridade e a verdade.

Referindo-se a uma doutrina falsa e malígna da justiça. Um reino visível de Deus exteriormente, ‘fermento do modernismo liberal religioso”, com Teologia liberal como base humana acima das Escrituras Sagradas.

Mateus- 22: 29,30 - Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Porque na ressurreição nem casam, nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.

No mundanismo há práticas imorais e pervertidas. Apocalipse- 2 e 3.

A busca da fama ou poder religioso, homens que se preocupam mais com suas próprias ambições do que com a glória de Deus. (MATEUS- 23)

Gálatas- 1: 9,10 - Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.

São cristãos que nunca tiveram um novo nascimento.

Judas-1: 12 - Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas;…v/19- Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito.

Estão entrando no meio das obras de Deus, através das denominações das igrejas locais e dos institutos Bíblicos, faculdades Teológicas e seminários Liberalistas, até o ponto de que o Evangelho e a vida de santificação ser coisas raras de se ver nos dias de hoje

Lucas - 18: 7,8,9 - E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros.

I Timóteo - 4:1 - MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;

Os pastores estão perdendo suas autoridades, tornando um ministro frio de obras mortas sem a fé genuína de Cristo, insuficientes para encherem os templos de homens e mulheres santos, limpos, de vestes brancas para esperarem Cristo para suas bodas.

Lucas - 12: 35,40 - Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possa abrir-lhe. Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.

A Palavra Pura e Verdadeira está sendo manchada com espírito da carne. Não entrarão no Reino de Deus aqueles que enganam, fazendo parecer verdadeiros, usando versículos fora de contextos Bíblicos; comparando-os com o Velho Testamento que é da Lei dos homens.

Foi por causa disto mesmo que Jesus precisou entrar neste mundo, por causa da desobediência dos homens mesmo debaixo de Lei, eram de duras servis.

Paulo afirma que é impossível herdar o Reino de Deus mediante a prática das obras da Lei.

Gálatas - 2: 16 - Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

Galatas - 5: 4 - Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído. ( I Coríntios-6: 9, a 11)-(Mateus-25: 41 a 46)-(Efésios-5: 11,12,13,14 ).

Despertai!… Levantai!… Vista-te de linho branco para esperar a volta de Jesus Cristo!!!

Sem a santificação, ninguém verá a Deus. Não permitam que entrem “raposinhas” em sua plantação, elas fazem grandes estragos, que poderão manchar suas vestes para sempre.

Que Deus abençoe a todos!!!

Autor: Nilza Rangel

sábado, 22 de outubro de 2011

Jesus agora fala com você ao celular todo dia


Um novo aplicativo da loja da Apple está causando debate entre diferentes grupos religiosos. Com o Personal Jesus, você pode literalmente ter Jesus a seu dispor, lhe oferecendo uma palavra inspiradora.

O problema para alguns está na imagem “distorcida” do filho de Deus que está disponível em diferentes versões. Em resumo, o aplicativo é uma espécie de despertador com tema bíblico. O site da empresa oferece a seguinte descrição:

“É hora de despertar para um novo app! Jesus está chamando você! Adquira sabedoria ao ouvir um Jesus ANIMADO que fala mais de 200 citações da Bíblia diretamente no seu iPhone ou iPad.

O Personal Jesus permite ainda que você compartilhe a Palavra nas redes sociais. Você pode usar as opções alarme, lembrete de compromisso ou modo aleatório para ser surpreendido com citações ao longo do dia. A animação mostra Jesus andando sobre a água, durante a última ceia, sendo crucificado, ressuscitando ou no céu.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

PENSE!

Na Contra Mão da Verdade


"Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos". 2 Tessalonicenses 2:9-10.

A Igreja atual tem muitas nuvens carregadas sobre a sua tenda, e se ouve a partir dessas nuvens o estampido de fortes trovões, mas não se vê a descida das chuvas torrenciais e restauradoras. Na verdade, temos muita propaganda, mas poucos frutos verdadeiros. Temos muito do homem e pouco de Deus. Vivemos o tempo em que as novidades se multiplicam dentro das igrejas. A Bíblia é usada como um livro mágico e cabalístico para referendar todas as birutices e maluquices engendradas no laboratório da religião do lucro, para enganar os incautos com uma fé sincrética e para enriquecer os líderes fraudulentos e cheios de ganâncias. O apóstolo Paulo já nos preveniu a respeito de tais homens que falam e fazem coisas miraculosas em nome de Deus. Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros! Acautelai-vos da falsa circuncisão! Filipenses 3:2.

Esses cães que muita gente ainda desconhecem, o profeta maior interpreta quem são eles. Leiamos com muita atenção em Isaías 56:11 Tais cães são gulosos, nunca se fartam; são pastores que nada compreendem, e todos se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, todos sem exceção. Infelizmente muitas pessoas têm seguido as suas praticas, obviamente pelos mesmos interesses que é a ganância. Nunca se fartam! Mas o triste fim deles e também de seus seguidores será lamentável conforme está escrito em Apocalipse 22:15 Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira.

Em nome de Deus esses pregoeiros de outro evangelho mantêm as pessoas prisioneiras de uma religião que abandona a Bíblia, para abraçar a religião da experiência, do misticismo e da heterodoxia. Em lugar da exposição da verdade, estabelecem as campanhas de milagres; em lugar do ensino da Palavra de Deus, estabelecem a busca da prosperidade; em lugar da libertação do pecado, estabelecem a libertação dos demônios; em lugar da salvação, estabelecem a cura; em lugar da ajuda do alto, estabelecem a auto-ajuda. Hoje a pregação é totalmente centrada no homem e aquilo que ele supostamente alcançou de Deus. São os testemunhos de curas e milagres que atraem as multidões e não mais a Verdade da Palavra de Deus. É por esse motivo que o próprio Deus lhe envia a operação do erro, para crerem na mentira do diabo. E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira. 2 Tessalonicenses 2:11.

Nos dias em que estamos vivendo a Bíblia deixou de ser o único princípio de fé e prática em muitas igrejas. Os testemunhos de ícones da sociedade que aderiram à fé evangélica têm mais aceitação e ibope do que a pregação da Palavra. O povo anda sôfrego atrás de astros humanos, mas está apático com a mensagem do bendito evangelho de Cristo. O culto “show” substituiu o derramar da alma diante do Senhor. Há muitos ensinos separados das Escrituras circulando no meio do povo de Deus. Tem muita gente faminta do Verdadeiro Pão do céu, que é Cristo, mas o que estão servindo ao povo é uma ração envenenada. Porque quem está com fome, come qualquer tipo de alimento, ainda que seja amargoso. Devemos tomar muito cuidado com alimento cuja origem é desconhecida. Você pode estar comendo a sua própria destruição. Então, saiu um ao campo a apanhar ervas e achou uma trepadeira silvestre; e, colhendo dela, encheu a sua capa de colocíntidas; voltou e cortou-as em pedaços, pondo-os na panela, visto que não as conheciam. Depois, deram de comer aos homens. Enquanto comiam do cozinhado, exclamaram: Morte na panela, ó homem de Deus! 2 Reis 4:39-40a. Para que eles pudessem comer e saciar a fome, foi necessário que Eliseu jogasse farinha na panela. Essa farinha representa o trabalhar da cruz no Antigo Testamento. O trigo para se tornar farinha é necessário passar pela moenda. E isto fala do nosso Senhor lá na cruz, quando Ele foi moído pelas nossas iniqüidades. Então, a farinha foi o que salvou aqueles homens famintos da morte da panela. Leiamos 2 Reis 4:41 Porém ele disse: Trazei farinha. Ele a deitou na panela e disse: Tira de comer para o povo. E já não havia mal nenhum na panela. Há muito veneno misturado no meio da comida que o povo de Deus ingere. Precisamos estar atentos! Por favor, irmãos, não fiquem impressionados de que, onde existe uma multidão, aí está à verdade. O argumento é o seguinte: “Se a igreja está crescendo, então é obra de Deus, porque, se não fosse de Deus, o trabalho jamais poderia prosperar”. Esse raciocínio é enganoso e insidioso. Essa conclusão está equivocada. Nem tudo que cresce é verdadeiro. Nem todo “sucesso” procede de Deus. Nessa sociedade embriagada pelo sucesso, o critério da verdade mudou radicalmente. Precisamos entender que nem todo crescimento é sinal de vida. Nem tudo que cresce é de Deus. As seitas heréticas também crescem. O câncer também é um crescimento desordenado de células da morte. A igreja de Sardes tinha o nome de uma igreja viva aos olhos dos homens, mas estava morta aos olhos de Jesus. Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto. Apocalipse 3:1.

Vocês se lembram quando Jesus pregou o seu sermão sobre o Pão da Vida? Naquela oportunidade, a multidão de discípulos que o seguiam começou a se dispersar. Jesus não amaciou Seu discurso nem buscou um método mais atrativo para manter a multidão a qualquer custo. Jesus na ocasião foi duro sobremaneira, e, por causa disso muitos o abandonaram. À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele. João 6:66.

A loucura sem tamanho do ser humano é deixar o verdadeiro evangelho para correr atrás de coisas que são produzidas pelos homens. Será que podemos responder a essa pergunta: Por que os homens estão rejeitando o evangelho? Porque o evangelho é em si mesmo desagradável, desprezível, repulsivo e alarmante para o mundo. Ele revela o pecado, condena o orgulho, traz convicção ao coração incrédulo e demonstra que a justiça humana, até mesmo nos melhores e mais atraentes aspectos da natureza humana, é imprestável, corrupta, não passa de trapos de imundícias. Todos nós nos tornamos impuros, todas as nossas boas ações são como trapos sujos. Somos como folhas secas; e os nossos pecados, como uma ventania, nos carregam para longe. Isaías 64:6(LH). Diante dessa verdade da Palavra de Deus, não podemos culpar a ninguém por nossos fracassos e miséria. Que tristeza ver tantas pessoas professando um cristianismo do Deus utilitário. As pessoas não querem Deus, querem as suas coisas. Será que nós, povo que morremos e ressuscitamos com o Senhor, também não estamos incorrendo neste erro incoerente de fazer do nosso Pai, um Deus utilitário? Se somos filhos de Aba, a vida espiritual para nós, é aquela que nos leva a tirar do coração o que há de mais precioso e oferecê-lo ao Senhor, a buscar nos compartimentos mais secretos da alma os sentimentos mais nobres e puros e dedicá-los a serviço da adoração. A partir do momento que uma pessoa morre com Cristo, ele será capaz de adorar e servir a Deus por nada, simplesmente porque este é Deus e não porque o cobre de benefícios, aí ele encontra o sentido maior da sua piedade. Somente pelo trabalhar da cruz, poderemos levar a nossa alma a se render ao Senhor, tendo Ele como o nosso anseio maior. A minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da manhã. Mais do que os guardas pelo romper da manhã. Salmos 130:6. Será que somos capazes de amar a Deus e servi-lO com integridade e temor, mesmo quando estamos passando pelo vale árido da nossa alma? Que testemunho eu teria a dar sobre Deus, seu amor, graça, bondade e misericórdia, quando não há nada de concreto para contar ou afirmar? Não há nenhum carro novo, nenhuma promoção no trabalho, nenhuma cura, nenhuma revelação, nada. Apenas Deus. Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. Habacuque 3:17-18. Amém!

Autor: Claudio Morandi

Gente desculpa

Sei que aqui tá meio abandonadão,
mas alguem sabe uma tecnica de atualizar aqui , ao mesmo tempo que atualiza
o Face ou o Twitter?

rsrs

ai é querer demais neh...

vo tentar mais uma vez voltar atualizar este espaço..
combinado?

otima sexta pro6

reflexão

Em Cima do Muro


Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.(Apocalipse 3:15 e 16)

Gostaria de narrar uma Linda História Bíblica e do Poder de Deus sobre uma pessoa cega e também o descaso de seus pais com relação ao acontecimento.

Certa vez, estava passando Jesus e viu um cego de nascença. Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus. Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Dito isto, cuspiu no chão e com a saliva fez lodo, e untou com lodo os olhos do cego, e disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa Enviado). E ele foi, lavou-se, e voltou vendo. Então os vizinhos e aqueles que antes o tinham visto, quando mendigo, perguntavam: Não é este o mesmo que se sentava a mendigar? Uns diziam: É ele. E outros: Não é, mas se parece com ele. Ele dizia: Sou eu. Perguntaram-lhe, pois: Como se te abriram os olhos? Respondeu ele: O homem que se chama Jesus fez lodo, untou-me os olhos, e disse-me: Vai a Siloé e lava-te. Fui, pois, lavei-me, e fiquei vendo. E perguntaram-lhe: Onde está ele? Respondeu: Não sei. Levaram aos fariseus o que fora cego. Ora, era sábado o dia em que Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos. Então os fariseus também se puseram a perguntar-lhe como recebera a vista. Respondeu-lhes ele: Pôs-me lodo sobre os olhos, lavei-me e vejo. Por isso alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus; pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles. Tornaram, pois, a perguntar ao cego: Que dizes tu a respeito dele, visto que te abriu os olhos? E ele respondeu: É profeta.

Os judeus, porém, não acreditaram que ele tivesse sido cego e recebido a vista, enquanto não chamaram os pais do que fora curado, e lhes perguntaram: É este o vosso filho, que dizeis ter nascido cego? Como, pois, vê agora? Responderam seus pais: Sabemos que este é o nosso filho, e que nasceu cego; mas como agora vê, não sabemos; ou quem lhe abriu os olhos, nós não sabemos; perguntai a ele mesmo; tem idade; ele falará por si mesmo.

Isso disseram seus pais, porque temiam os judeus, porquanto já tinham estes combinado que se alguém confessasse ser Jesus o Cristo, fosse expulso da sinagoga.

Por isso é que seus pais disseram: Tem idade, perguntai-lho a ele mesmo.(João 9:01 a 23)

Lemos acima, um dos grandes milagres feitos pelo Senhor Jesus Cristo e muitos não acreditaram nisto, na cura do cego.

Mas o que gostaria de levar os vossos pensamentos é na atitude dos pais do cego. Certamente eram Judeus pois temiam ser expulsos da sinagoga caso confessassem ser Jesus, o Cristo.o Messias que até hoje é aguardado pelos Judeus.

Eles viram a glória de Deus, através da cura do seu filho, no entanto ficaram em cima do muro, temendo represálias por parte dos Judeus.(não foram nem frios e nem quentes)

Hoje em dia não é diferente, quantos casos vimos Jesus operar, curas, milagres e maravilhas e no entanto, muitos negam a Glória de Deus.

Para muitos Jesus não passou de um arruaceiro, para outros um Espírito evoluído, para outros, mais uma lenda, para outros não crêem em Jesus e afirmam que a Bíblia é mais um livro a mais que se vende em livrarias .

E para você , quem é Jesus?

Jesus afirma no Livro do Evangelho de Mateus:

Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus.(Mateus 10:33,34)

Você já confessou Jesus Cristo diante dos homens como Senhor e salvador de suas vidas?

Os pais do cego, não confessaram Jesus Cristo, por medo de represálias dos Judeus, mesmo vendo diante dos seus olhos a Glória de Deus, através da cura.

A Bíblia também relata que o cego, depois de ser curado creu em Jesus e foi expulso da sinagoga, mas também relata que o Mestre veio ao seu encontro.

Jesus sabendo disto, o procurou e o achou-o e perguntou-lhe: Crês tu no Filho do homem?

Respondeu ele: Quem é, senhor, para que nele creia? Disse-lhe Jesus: Já o viste, e é ele quem fala contigo. Disse o homem: Creio, Senhor! E o adorou.

Este homem creu em Jesus e O adorou ; Não se intimidou pelas represálias dos Judeus e no dito popular foi “Quente” e CRENTE.

Jesus no livro final da Bíblia, o apocalipse, nos alerta:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.(Apocalipse 3:15 e 16)

Jesus conhece a cada um de nós , conhece as nossas obras e hoje Ele te chama.

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.(apocalipse 3:20)

Vamos abrir a porta para o nosso Senhor Jesus?

Deus te abençoe

Autor: Paulo Sérgio