sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Deus Falando

Esta é a confiança que temos a nos aproximarmos a Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a vontade de Deus, ele nos ouvirá. - 1 Jo 5:14

O tempo não para




Ola amados..
que pena que este blog esta paradãoooo,
estou meio sem animo para escrever, estou me dedicando a novos projetos, e também o ministerio tem me pedido mais tempo, mais empenho na obra do senhor.
Brevemente sei q o Senhor vai honrar cada minuto investido em sua ceara.

No mes passado, fui empossada coordenadora de mocidade da area 20. Estou ainda em fase de adaptações. A obra do senhor precisa de empenho, dedicação, não pode ser feita de qualquer jeito.Portas tem se aberto no ministerio, tenho certeza que foram lagrimas semeadas, e a ceifa esta començando com jubilo.
Peço graça de DEUS É tudo que preciso..


no mais
tudo na santa paz..

abçs a todos

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Vencendo

Oi pessoas,

infelizmente nesta sexta feira, dia 20 de agosto, iria completar 1 mês em que não posto nada neste espaço.
Mil perdões a todos que visitam o CONSIDERANDO.
Tive intensas atividades, Congresso Geral, depois, trabalhei na cobertura da Expoacre 2010, depois tivemos festividades com a Mocidade da area 20. E estou correndo atraz do tempo perdido, em muitas areaas da minha vida. No trabalho, não e´d iferente.

Mais pela graça de DEUS, estamos bem e com saude.
Mais uma vez no meio de tanta correria, deixo pra vcs o lindo Hino, interpretado pelo pr. Luiz Gonzaga - Deus está no controle.








PAZ DO SENHOR

terça-feira, 20 de julho de 2010

Agora eu acreditei







Depois d ver este projeto de santinho circulando na net, foi q realmente dei credito a candidatura do pr. Marco feliciano.
E sinceramente sem comentariios.
e vc servo de DEUS o q acha disso?

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Comentario sobre o post abaixo:

Meu DEUS, onde iremos parar.
A igreja do Senhor, está tomando um rumo muito perigoso.
Temos q ter discernimento sobre a vontade de DEUS em certas situações politicas, e principalmente sobre a missão de cada servo nesta terra.

Pastor Marco Feliciano confirma que se candidatará a Deputado Federal. Confira entrevista


Após anunciar que “jamais se rebaixaria” a política, o Pastor Marco Feliciano, do Ministério Tempo de Avivamento, oficializou sua candidatura a Deputado Federal. Marco Feliciano chegou a afirmar anteriormente que estaria sonhando com o Senado um dia e que não havia nada concreto que se candidataria.


Em entrevista Marco Feliciano explicou a mudança de opinião e afirmou querer lutar contra uma conspiração nacional. Segundo o Pastor, este será um Ministério Político. Confira a entrevista na integra:

Quando surgiu a idéia de se tornar um político?

Pr. Marco Feliciano
- No momento em que percebi a dificuldade de pertencer a um grupo contra o qual se conspira e que sofre preconceitos grosseiros. Ser evangélico neste país é motivo de piada, e isto é um absurdo; No momento em que percebi que existe uma trama conspiratória contra o avanço do movimento evangélico brasileiro; No momento que percebi que, como cidadão, formador de opinião, eu poderia dar uma parcela de ajuda, ainda que pequena, aos nossos sonhos e ao povo que sonha como eu; No momento que vi a bancada evangélica ser atingida por crises, como a CPI das ambulâncias. Depois dessa crise a bancada evangélica foi dizimada, afinal nenhum crente queria se envolver e defender os que possivelmente escandalizaram a Nação.

Todavia, no pleito seguinte, de mais de 60 Deputados Federais, nossos representantes caíram para menos de 20, e então sem poder de voto Projetos de Lei como o PL 122 passaram facilmente pela Câmara Federal, e já tramitam no Senado. Ou seja, deixamos de eleger crentes fortes pra elegermos macumbeiros fortes! Isso me revoltou. Em novembro, quando estourou o último escândalo em Brasília, mais uma vez a mídia quis mostrar que entre os culpados havia um EVANGELICO. Foram dezenas os acusados, mas só sabemos a religião de um evangélico. A mensagem subliminar era para minar a mente do povo evangélico a não votarem nos seus irmãos. Por isso resolvi me tornar um político.

O que você acha da Política no Brasil?

Pr. Marco Feliciano - É triste saber que nossa política está marginalizada. Nossos filhos não acreditam na política porque os políticos têm fama de serem ladrões. Ser político nesse país é tornar-se alvo de chacotas, perseguições e ridicularizações. Mas é preciso mudar! Mudarmos esse quadro, esse pensamento, afinal, como cristãos que cremos no poder da palavra, cada dia que dizemos: A POLITICA DO BRASIL É PODRE, ela realmente pode se tornar cada vez mais podre. Precisamos recuperar o prestígio, o respeito e a unção profética sobre o governo, afinal, está escrito: TODA AUTORIDADE É POR DEUS CONSTITUÍDA. (Romanos 13:1)

Qual a sua expectativa agora em um novo ministério, o político?

Pr. Marco Feliciano – Você disse com muita propriedade: MINISTÉRIO POLITICO. O profeta do velho testamento era a “consciência política” do reino. Não serei leviano, sei absolutamente que serei um entre centenas, e caso Deus me conceda chegar lá, enfrentarei muita dificuldade, mas creio que se o Senhor se aprouver de mim, ELE pode criar um mecanismo divino pra que essa voz aqui possa ser ouvida como representação dos anseios do povo. Eu creio na direção divina. É um novo mundo, misterioso pra mim, estranho e perigoso, mas sempre gostei de desafios, sou corajoso! Vou lutar.

Qual será a base de seu trabalho?

Pastor Marco Feliciano – A princípio ter acesso as leis que ferem a base da sociedade, ou seja, a família, e sabendo o que se passa nesse assunto, diretamente estará envolvido o assunto IGREJA, pois a base da igreja também é a família. Quero tomar conhecimento sobre as leis do Meio Ambiente, onde se enquadra a Lei do “Psiu”, que faz com que igrejas sejam lacradas arbitrariamente por causa das denuncias feitas por vizinhos. Se possível, queremos reavaliá-la e reinterpretá-la. É conhecido de alguns que caminham pelo Congresso projetos de lei que envolvem a arrecadação financeira da igreja, onde querem tributar o dízimo, ofertas e doações. Ou seja, retirar uma porcentagem da receita da igreja, e para tanto, levar os fiéis a depositarem em agências bancárias tais doações, inibindo-os a entregarem na igreja. Também a pior de todas as leis, o PL. 122, que fere de maneira grotesca a SANTIDADE DA IGREJA, levando, caso seja aprovada, líderes evangélicos a tomarem decisões que podem destruir a santidade da igreja, ou levá-los direto a uma prisão, por terem sido “preconceituosos”. Portanto, minha base de trabalho será junto com a bancada evangélica, que, se Deus permitir, será grande, forte e atuante. Blindaremos politicamente aquela que nos elegeu, A IGREJA. Também tenho projetos para a família, no sentido de tentarmos criar uma maneira menos burocrática para adoção de crianças que ficam sem família por serem órfãs, pois os que as querem esbarram em penosa burocracia.

O que a Igreja Brasileira pode esperar com sua eleição?

Pr. Marco Feliciano – Uma voz corajosa, verdadeira e profética na Câmara Federal. Sei que políticos fazem promessas arrogantes, mas quero que me entendam, só farei duas promessas aqui, a primeira: NAO ENVERGONHAR MEU SALVADOR NEM A IGREJA QUE ACREDITOU EM MIM, E COM SEU VOTO ME “UNGIU” COMO AUTORIDADE LEGISLATIVA; e segundo: estarei político, mas serei PARA SEMPRE UM UNGIDO, SEREI PASTOR ATÉ MINHA MORTE OU ATÉ A VOLTA DO MEU SALVADOR.

Como administrará sua vida pastoral e política?

Pr. Marco Feliciano – Tenho uma equipe, discípulos que me representam muito bem. Serão três dias de trabalho em Brasília, além claro de todo o trabalho de base, nos municípios, portanto, sobram quatro dias para que eu me divida entre família, igreja e congressos. Sou jovem, tenho vigor e disposição e com a ajuda do meigo Espírito Santo, acredito, darei conta.

Não tem medo de se corromper?

Pr. Marco Feliciano – A corrupção está aliada ao caráter. Uns são corrompíveis, outros não. Medo? Não, posso ter medo daquilo que nunca aceitei, não aceito hoje e não aceitarei amanhã. Vigilância sempre!

O senhor espera por resistências entre pastores e convenções?

Pastor Marco Feliciano – Naturalmente. Até porque tudo que faço é sempre muito vigiado. Existem candidatos que são apoiados por pastores e suas devidas convenções, e como sempre caminhei sozinho, minha luta será grande. Não tenho apoio de muitos pastores, vou contar com o carinho da Igreja que sempre ora por mim e me defende quando possível. Não tenho púlpitos pra me apoiar, tampouco dinheiro pra fazer uma campanha num estado tão grande como São Paulo. Sendo assim, contarei com a ajuda de voluntários que acreditam no meu trabalho, com jovens sonhadores como eu, que me emprestarão por estes três meses, seus corações, seus veículos, suas horas, para juntos partirmos para o corpo-a-corpo nas ruas. Como já disse, não tenho os púlpitos, mas na calçada da igreja ou na rua podemos trabalhar, buscando votos e buscando o convencimento da população.

O que o povo pode esperar do Dep. Marco Feliciano?

Pr. Marco Feliciano – Podem esperar total comprometimento com a causa da Igreja e com o atendimento aos mais necessitados. E disso eu entendo, já que fui um menino nascido num vale, cuja mãe pedia esmola na rua pra dar-lhe de comer, que engraxou sapatos, trabalhou na lavoura, filho de mãe solteira, ex-drogalito, e que lutou contra os preconceitos sociais. Sou uma pessoa que, com a ajuda de Jesus Cristo, venceu na vida e ajudou na mudança da vida de milhões de pessoas nas mais de 1.600 cidades brasileiras onde preguei pessoalmente, nos mais de 60 países do mundo que de igual forma ministrei uma palavra e ajudei a erguer do cemitério os sonhos de inumerável quantidade de pessoas.

E é essa experiência que quero levar às pessoas, as lições de vida de uma pessoa que escreveu diversos livros, que foi para a TV brasileira em Rede Nacional, sem apoio de nenhuma organização ou denominação, que tem um site com mais de 11 milhões de visitas, ou seja, que recebeu a ajuda de Jesus, que reverteu uma história que tinha tudo pra dar errado, e a transformou em uma história de sucesso. Podem esperar que usarei essa graça, esse talento e esse carisma pra honrar nossa fé, engrandecer o nome do nosso Salvador, e usar o direito de cidadania para lutar por um país onde as classes sejam mais iguais, onde haja menos crimes, onde haja mais esperança e fazer com que o Governo do Justo, explanado em Provérbios 29:2, exista! Afinal, QUANDO O JUSTO GOVERNA, O POVO SE ALEGRA! E mais, pode parecer utopia, mas vou lutar para que em breve, ao ligarmos o programa de rádio “Hora do Brasil”, e ao ouvirmos um jornalista dizer “COM A PALAVRA SUA EXCELENCIA O PRESIDENTE DA REPUBLICA BRASILEIRA”, possamos ser agraciados com as seguintes palavras do presidente: “SAÚDO OS COMPATRIOTAS BRASILEIROS COM A PAZ DO SENHOR!”

Fonte: Gospel Prime / Gospel+

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Criticar pastores é errado?

Uma situação a ser observada e que na maioria das vezes passa por despercebida, é a nomenclatura que os chamados “pastores” querem utilizar sobre as ovelhas para preenchimento de seu ego, qual seja, serem chamados de “LÍDERES”…

Em relato algum das Sagradas Escrituras, em especial através da nova Aliança que Jesus cumpriu na cruz do Calvário, em o Novo Testamento que, em síntese, é o espelho da igreja atual, jamais encontramos um só versículo que designa tal terminologia, “LÍDER”…

Por relatos das Sagradas Escrituras, deparamos como nosso irmão Pedro em sua primeira epístola, capítulo 5, versículos de 1 a 4, onde em humildade, dá os desígnios do “verdadeiro homem de Deus”:

“Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”.

Portanto, um verdadeiro pastor, apascenta, cuida, ama, dá exemplo…

... um verdadeiro líder, chefia, tem dominação baseada no prestígio pessoal.

Pois bem, aos pastores (presbíteros, bispos), se estes errarem, não há impedimento algum por vontade divina, que não devemos apontar os erros, antes pelo contrário, “aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor” [1Timóteo 5.20];

E, é neste sentido que Paulo repreende a Pedro na presença de todos [Gálatas 2.11-14].

Todos têm o conhecimento que a critica ensina a melhorar uma pessoa, a refletir quanto aos atos, ações, porquanto, aquele que não aceita critica não é apto a conduzir o rebanho do Senhor!

Infelizmente, muitos pastores interpretando versículos bíblicos a seu bel prazer e conveniência, transmitem este ensinamento que não devem ser criticados, e muitos engolem isto e se calam diante os erros pastorais...

Em outro sentido, a linguagem que muitos pastores transmitem é a do medo!

Sem nos esquecer da tão famosa afirmação: pastores são “ungidos do Senhor”... e por que seus defensores dizem que só Deus poderá julgá-los?

Esses homens (que alguns numa insanidade bíblica os chamam de “ungidos de Deus”) estão acima da lei de Deus?

É urgente e primordial um “basta” e parar com essa atitude de achar que homens que pregam o evangelho são melhores que os outros!

Todos somos seres humanos e sujeitos a erros e acertos; ser pastor não coloca ninguém acima do bem ou do mal.

Muitos, mas muitos, não têm capacidade de ter autoridade pela verdade do que dizem e vivem, então empurram certa “autoridade” garganta abaixo de seus discípulos em forma de ameaças usando pretextos bíblicos sem sentido, pois que, a verdadeira “autoridade” somente é a Jesus!

Nada pode calar a voz da justiça, porque “nada há encoberto que não haja de ser manifesto; e nada se faz para ficar oculto, mas para ser descoberto.” [Marcos 4.22].

fonte: jesusmaioramor.blogspot.com

sábado, 10 de julho de 2010

Fotos do Seminário de Ciencias Biblicas


Na manha deste sabado dia 10 de Jullho, as explanações do Seminario de Ciências Biblicas. O tema algo bem interessanto, a Historia da Biblia até seus formatos digitais.O avanço das formas de escritas do livro, pesquisas e traduções. É Imprecionante o conteudo que foi trabalhado até chegar o que nós temos até hoje, essa biblia bonitinha que muitos usam só como indumentaria.

Outra palestra foi sobre a interpretação da biblia para o homem de hoje, pelo pr. laécio. Neste assunto, foi abordado as formas de interpretação e entendimento da palavra de DEUS. Inclusive o palestrante se referiu aos erros que a igreja geralmente comete com a falta de sabedoria no ora de interpratar as escrituras. E precisamos ter claro a TRIADE REVELATORIA DA PALAVRA DE DEUS, que consiste em REVELAÇÃO, INSPIRAÇÃO E ILUMINÇÃO.

Nesta tarde agora estamos assistindo a palestra sobre a Palavra ao longo da estoria.A imprensão da biblia e outros.
Apartir deste sabado as igrejas do nosso EStado abraçam um desafio de escrever a biblia manuscrita para impressão.O tempo estimado é que em 1 ano sseja concluido este projeto.


amém... vamos crescer na graça e no conhecimento de cristo
abç irmãos

Fim de semana movimentado


Bom dia pessoas...

depois de uma semana movimentada e muitos afazeres no secular e também no ministerial desde sexta feira, estamos participando do SEMINARIO DE CI~ENCIAS BIBLICAS, oferecido pela SBB.

Nunca o ACRE sediu um evento como este, temos como palestrantes Rev. Dr. Ernaní Walter, Pr. Altair Germano, Pr. Laércio Dornas, pessoas que realmente entendem do estudo biblico no Brasil.

Bem agora a palestra já vai começar logo logo eu posto algumas fotos para os amados amigos internautas.

abçs e até mais..

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Brasil sem Hexa!

Pensei que tinha passado, mais nesta segunda feira, a conversa que encontrei pelas ruas da cidade continuou sendo a derrota do BRASIL.

Lendo sobre O assunto na internet achei este material interessante, do site O GALILEO.

A pergunta que não quer calar: PORQUE NÃO DEU PARA O BRASIL.

te convido a ler a materia:


Evangélicos na Seleção: Por que Deus não abençoou?

No primeiro jogo, de verdade, a seleção brasileira sucumbiu, e sem tardar surgem os fabricantes de vilões, onde uns elegem Dunga- que já foi bode expiatório na Copa da Itália em 90-, outros nomeiam Felipe Melo como o Dunga hodierno.

É factual que o técnico brasileiro é um mar de coerência e nem uma gota de ousadia, teimou desde a convocação até o fim, e morreu abraçado com sua convicção. Ricardo Teixeira, o poderoso chefão, que está há mais tempo no poder do que Fidel ditando em Cuba, nada pode fazer, pois havia dado plenos poderes ao técnico o qual teve a missão de apagar a imagem fanfarrônica que ficara em 2006.

O evangélico Felipe Melo evidenciou estar bastante fora do eixo emocional, até aí nenhuma novidade, já que havia colecionado 20 cartões amarelos na temporada pela Juve, e o ainda pior cartão no amistoso realizado dias antes do início da copa contra a fortíssima seleção do Zimbabwe.

A estrutura psicológica instintiva, de garra animal dunguística, estava mais do que impressa em todos os jogadores e de maneira emblemática culminou na tão malfadada expulsão do Felipe num verdadeiro Melo-drama canarinho.

Porém quando algo está ruim, lembre-se: Pode ficar pior.

Nesse caso, a declaração posterior do nosso irmão: “Foi um lance normal, não dei soco, não cuspi. Se fosse maldade poderia quebrar a perna do Robben, tenho força suficiente pra isso”.

Ora, para ser expulso é preciso quebrar uma perna?

E o fato de essa ser quase que uma Seleção Evangélica?

Por que Deus não honrou aos homens de fé que lá estavam? Afinal somos mais que vencedores.

Dunga -em leitura labial feita pelo ‘Fantástico’- disse: Ô meu Deus, me ajuda!

Lembro-me de 94, onde muitos evangélicos diziam que o Brasil foi tetra, pois o budista Roberto Baggio bateu o ultimo pênalti contra o evangélico Taffarel.

Deixemos de meninice Gospel meu povo.

Deus não entra em campo, se entrasse evidentemente não tinha pra ninguém, pois bate um bolão, contudo lá está tão somente em razão do atributo de sua onipresença.

Deus não deu a taça aos nossos irmãos, simplesmente porque ‘Pessoas são mais importantes que coisas’.

Sabiamente assim é também com cada um de nós quando pedimos “Bênçãos” e não somos atendidos. O compromisso que Deus tem é com a transformação da nossa vida para o aPERFEIçoamento, sendo que, o ser humano desenvolveu a capacidade de aprender muito mais com a dificuldade do que quando tudo vai bem, por causa da dureza do coração e pecado, desde a queda adâmica.

Não há duvida alguma que nossos irmãos foram abençoados por Deus, que lhes deu a oportunidade de aprenderem tantas coisas para o crescimento. Se assim foi com todos os homens de Deus, porque não haveria de continuar a ser?

Afinal, quando tudo lhe parecer perdido é chegada a hora de receber algo muito mais real:

O troféu da benção da experiência.



Por Carlos Lima - O GalileO

Brasil sem Hexa!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Reflexão


Materialismo na Igreja

Paulo diz que o amor ao dinheiro é raiz de todos os males (1Tm 6.10). Diz que aqueles que quiseram se enriquecer caíram em laços e ciladas. A vontade de Deus é que tenhamos o necessário para viver, e que estejamos tranqüilos e confiantes nele para o nosso sustento (Mt 6.33).

A igreja, durante a sua história, envolveu-se com as riquezas deste mundo de tal forma que tem impedido o verdadeiro estabelecimento do Reino de Deus. O que geralmente ocorre é que em alguns grupos a grande quantidade de riquezas ocupa o tempo e o coração de seus líderes, ao mesmo tempo que em outros a falta de dinheiro gera intranqüilidade a ponto de levar seus obreiros a se envolverem no serviço secular.

Tanto num caso como noutro, os líderes acabam não dando tempo suficiente a Deus, e nem a devida assistência à igreja, que se torna debilitada e doente espiritualmente, e conseqüentemente também não contribui bem financeiramente. Desta forma, um círculo vicioso se instala: o obreiro intranqüilo não oferece boa assistência; um povo mal assistido não contribui!

Obviamente não temos pretensão de esgotar o assunto, que é extenso, mas queremos abordar algumas questões fundamentais, sem medo de tocar naquilo que está abaixo da superfície. Uma Igreja Comprometida Com o Poder Financeiro

A Igreja Católica, na Idade Média, chegou a concorrer com as maiores fortunas da época. Possuía riquezas de tal magnitude que dominava vidas de reis e imperadores. Essas riquezas eram adquiridas de diversas formas: vendas de indulgências; conquistas feitas durante as Cruzadas; posse das terras de pessoas amaldiçoadas por ela... (isso era mais comum do que se pensa).

As grandes catedrais construídas a partir do século XI vieram de uma crença que situava a presença de Deus nos edifícios: Deus estava nos grandes templos, e quem ajudasse a construir acumulava certos créditos diante dele, pois estavam construindo "a casa de Deus". Os sacerdotes se colocaram como representantes de Deus na terra, e isso ao ponto de ter poder de vida e morte sobre as pessoas. A separação entre clero e leigo foi acentuada de forma muito profunda.

A Semente Perversa Continua

Nos nossos dias essa restauração deve se aprofundar, pois a herança que recebemos de nossos pais desceu muito fundo em nossos hábitos religiosos e em nossa formação. Muitos protestantes e evangélicos condenam os excessos e desvios da Igreja Católica, enquanto continuam cegos às práticas e motivações que movem seus próprios ministérios e movimentos.

A área de finanças da igreja foi tocada somente em sua superfície, assim como outras áreas tais como: a forma de culto, a adoração individual, o cuidado das ovelhas, e o discipulado. O Senhor quer nos levar para seus padrões, para uma restauração de todas as coisas anunciadas pela boca de seus santos profetas (At 3.19-21). O que aconteceu com a humanidade é que ela foi mergulhada num materialismo insano que domina toda sua forma de vida, suas ações, e seus ideais, e isso não deixou os cristãos ilesos.

A igreja assumiu uma mentalidade materialista de tal forma que sua maneira de agir não tem muita diferença dos padrões e alvos do mundo sem Deus. Seus cultos, seus ideais, sua forma de administração dos recursos — tudo está marcado pelo materialismo.

O Que é Realmente Sólido e Permanente?

O que é materialismo?

É uma forma de pensar, segundo a qual as coisas espirituais são abstratas, difusas e sem base, e as naturais são concretas e dignas de confiança. Porém, a Bíblia ensina diferente.

"Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas" (2 Co 4.18).

A maior parte da vida humana é dedicada à busca das coisas temporais como se fossem eternas. Entretanto, todas as coisas da terra estão se desgastando minuto a minuto e somente não o percebemos porque estamos na mesma dimensão e na mesma velocidade dessas coisas.

Se pudéssemos aumentar a velocidade, como se faz com os filmes, poderíamos ver as coisas que valorizamos apodrecerem e se tornarem em pó. Essas coisas são, por causa disso, abstratas no contexto espiritual e eterno, e não podemos nos basear nelas por serem de tão pouca duração. A eternidade e as coisas relacionadas a ela são concretas por sua duração e confiabilidade.

O materialismo invadiu a vida da igreja e até sua doutrina e expectativa escatológica, pois a visão da eternidade futura está carregada de cobiça material. Os crentes são encorajados a esperarem as mesmas coisas que buscam aqui, como amplas moradias (mansões), ruas bem pavimentadas (de ouro), e constante lazer e descanso.

Nossos pais nos passaram a visão de que sua grande expectativa era a glória da presença de Deus. Ansiavam por estar com o Senhor. As figuras que a Bíblia mostra apontam para realidades espirituais, alegorias, pois como se explica sete espíritos de Deus, mar de vidro, quatro seres viventes com olhos por diante e por detrás, com semelhança de leão, novilho, homem, e águia, e outras semelhantes?

Não pretendo interpretar essas coisas. Pretendo somente trazer à lembrança verdades valorizadas pelos que viveram antes de nós e que foram estabelecidas como referência para a igreja de hoje.

Cristãos como aqueles enumerados em Hebreus 11. Homens e mulheres que descobriram riquezas espirituais em Deus, e que por causa dessa descoberta desprezaram as coisas desse mundo, morando em cavernas, sendo perseguidos, vestindo-se de peles de animais, vendo o invisível, vivendo muito acima da maior dignidade desse mundo.

O Que Estamos Buscando?

Hoje muitos buscam na igreja a solução de problemas terrenos, e lutam pelo pão que perece, sem experimentar o contentamento por ter o que comer, o que beber e o que vestir.

Os alvos são ligados ao TER e não ao SER, como se o ter constituísse a vida do homem.

Estamos envolvidos por uma teia de propaganda de insegurança no futuro, e por isso nos mergulhamos numa busca inglória por bens materiais como se estes fossem confiáveis e nos trouxessem segurança.

A proposta do Senhor para nós é que, pelo fato de não sabermos o que nos espera, devemos lançar nosso pão sobre as águas e então, depois de muitos dias o recolheremos (Ec 11.1). Isso mostra que a forma de Deus agir é completamente diferente do pensamento do homem. Quando um pão cai nas águas derrete e é impossível recolhê-lo após algum tempo, muito menos depois de muitos dias. Deus apela para a nossa fé nele, no seu suprimento, nos seus milagres. Ele diz também que devemos "repartir com sete e ainda com oito, porque não sabes que mal sobrevirá à terra". Que diferente da mentalidade humana!

O povo cristão está sendo enganado, em grande parte, por um evangelho que anuncia BOAS COISAS e não BOAS NOVAS. Anuncia a busca da satisfação do coração, sem levar a experimentar o poder transformador da cruz de Cristo.

O Modelo de Jesus ou o Modelo das Empresas?

Os modelos de igreja hoje, em grande parte, são diferentes da igreja do livro dos Atos. O povo era ensinado a dar generosamente, servindo aos necessitados. Hoje o ensino é que ser rico é sinal da bênção de Deus e ser pobre é sinal de maldição.

De acordo com os padrões atuais o próprio Jesus teria dificuldade em ser pastor de algumas igrejas. O atual padrão de sucesso no ministério é estabelecido por três fatores: número de crentes, construção de prédios e saldo bancário. Quando um pastor tem um grupo pequeno e faz esse grupo crescer, ele é considerado relativamente bem-sucedido. Se construir novos prédios é um realizador. Se faz o saldo bancário subir, é bom administrador.

Creio que essas medidas são boas para empresas, pois apontam para uma realização natural e comercial. Se a empresa aumenta seu número de empregados, seus lucros e seu patrimônio, então podemos dizer que é uma empresa bem-sucedida. No entanto, não vejo como aplicar essas medidas para a igreja, pois o nosso modelo é o Senhor Jesus no seu ministério aqui na terra, e em nenhum momento o vemos preocupado com essas coisas.

Quantos seguidores o Senhor Jesus tinha? Não podemos contar na hora da distribuição dos pães. Somente devemos contar os discípulos, pois é nas horas de agonia que se revela o irmão e não nas horas de festa. Na cruz estava somente um discípulo!

Como eram as finanças de Jesus? Ele nasceu em um lugar que não era seu. Tinha uma profissão bem simples e usou um jumento emprestado na sua entrada em Jerusalém. Vestia-se com roupas doadas e fez um milagre para pagar o imposto. Para concluir, o tesoureiro era ladrão!

Quantos templos Jesus edificou? Quando foi levado por seus seguidores para que pudesse admirar as construções do Templo, falou em derrubar!

Se ele se apresentasse em algumas denominações com o intuito de se tornar pastor, certamente seria rejeitado. Definitivamente, seu padrão não condiz com alguns modelos de igreja que temos hoje.

Precisamos acordar!

Precisamos transformar-nos pela renovação do nosso entendimento, sob pena de ter as nossas obras rejeitadas pelo Senhor por completa incompatibilidade entre a sua planta, e o que nós estamos fazendo.

O Senhor somente vai encher de glória o que for construído segundo a planta dele. A sua presença somente vai ocupar aquilo que estiver de acordo com o modelo que ele apresentou, e não segundo os projetos que se parecem conosco.

José Jamê Nobre
Fonte: Adorar.net

EBD - JOVENS


Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Mestre
Produzidos pelo Setor de Educação Cristã

Subsídios extras para a lição O Ministério Profético na Bíblia,
a voz de Deus na Terra

3º trimestre/2010



Lição 01 - O Ministério Profético no Antigo Testamento



Leitura Bíblica em Classe
Números 11.24-29


I. O início do ministério dos profetas
II. O profeta
III. O ministério


Conclusão

O MINISTÉRIO PROFÉTICO EM O ANTIGO TESTAMENTO

Prezado professor, vamos iniciar um novo trimestre em Lições Bíblicas. O tema desse trimestre é “O Ministério Profético na Bíblia, A voz de Deus na Terra”. O objetivo principal desse tema é percorrer toda a Bíblia a fim de descortinar os desdobramentos e implicações do ministério profético nela. Professor, é urgente que a Igreja esteja pronta a conhecer, compreender e discernir quem, de fato, é verdadeiro profeta.

A abordagem de alguns temas é inédita. Por exemplo, veremos como os profetas lidavam com questões de cunho social e político no exercício de seus ministérios e o que isso tem a ver com a igreja; a presença do misticismo em um confronto direto com a verdadeira profecia; a diferença entre dom minesterial de profeta e o dom de profecia (Ef 4.11); qual é a missão profética da Igreja? São temas que edificarão a sua vida a de seus alunos.

O profeta e o seu ministério

O termo profeta é derivado do grego prophetes, “aquele que fala sobre aquilo que está porvir, um proclamador ou intérprete da revelação divina. Esse termo refere-se àquele que age como porta-voz de um superior. Pode, também, ser utilizado como sinônimo de “vidente” ou “pessoa inspirada” (Os 9.7; 1 Sm 9.9). O termo hebraico para profeta é nabi’ cujo o significado etimológico mostra uma força de autoridade representativa . Em Deuteronômio 1.18b Deus afirma que o profeta [nabi’] declarará tudo que Ele ordenar. Em Êxodo 7.1 nabi’ [profeta] tem o mesmo valor semântico de representação de autoridade. Em outras passagens como Êxodo 4.15,16; Jeremias 1.17a; 15.19; a palavra nabi’ [profeta] aparece no contexto de um mensageiro que fala em nome de um superior.

O ministério de profeta tem seu início em Moisés com a manisfestação clara do exercício profético no arraial israelita (Nm 11.25,26). A concepção da instituição divina de ministério profético é ratificada em Deuteronômio 18.9-22, onde a contraposição entre profeta e prognosticadores (encantadores, mágico, etc.) é feita com a promessa do surgimento do grande profeta em Israel (vv. 15-22): Jesus Cristo (At 7.37,38).

No período monárquico, em Israel, aparecia a primeira escola de profetas (1 Sm 10.5,10). Isso introduz o papel importante que o profeta exerceria no período monárquico. Ele seria consultado pelos os reis como representantes de Deus para com o povo. Este profeta falaria ao rei através dos oráculos. Esse período para os profetas, em Israel, é marcado por respeito e reverência por parte da nobreza e do povo (1 Sm 16.4,5).

No período da monarquia dividida, surge o então conhecido movimento de profetas em Israel que tecnicamente, em Teologia, é chamado de Profetismo. Esse movimento tinha o objetivo de restaurar o monoteísmo hebreu. Os profetas desse período combatiam a idolatria, denunciavam as injustiças sociais, proclamavam o Dia do Senhor com o objetivo de reacender a esperança messiânica no povo. Esse movimento iniciou em Amós encerrando, cronologicamente com Malaquias. Esse período, diferentemente do anterior, caracterizado pelo sofrimento e marginalização que os profetas eram condicionados a passar. De homens dignos de reverência passaram, os profetas, a homens “dignos” de tratamentos mais baixos possíveis. Isso porque a mensagem de tais profetas ia de encontro aos interesses escusos das lideranças religiosas e políticas de Israel e Judá (Hb 11.36-38).

Professor, faça esse mapeamento a fim de introduzir os dados essenciais para compreender o início e o propósito do ministério profético em Israel no período do Antigo Testamento. Boa Aula!

Referência Bibliográfica

Dicionário Wycliffe. Rio de Janeiro, CPAD.
ANDRADE, Claudionor de. Dicionário Teológico. Rio de Janeiro, CPAD.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Toma Cãoooo

Para tds aqueles que tem sido perseguidos e humilhados por uma PENINA.
Creia, ela vai ver sua vitoria! Pq teu DEUS é fiel amém igreja?
hino fogo fogo Pr. Melvin!

Lições Biblicas - EBD


3º Trimestre de 2010

A cada trimestre, um reforço espiritual para aqueles que desejam edificar suas vidas na Palavra de Deus.
No 3º trimestre de 2010, estaremos estudando o tema O Ministério Profético na Bíblia, a voz de Deus na TerraComentarista: Pastor Esequias Soares

SUMÁRIO DA LIÇÃO:
1- O Ministério Profético no Antigo Testamento
2- A Natureza da Atividade Profética
3- As Funções Sociais e Políticas da Profecia
4- Profecia e Misticismo
5- A Autenticidade da Profecia
6- Profetas Maiores e Menores
7- Os falsos Profetas
8- João Batista – O Último Profeta do Antigo Pacto
9- Jesus – O Cumprimento Profético do Antigo Pacto
10- O Ministério Profético no Novo Testamento
11- O Dom Ministerial de Profeta e o Dom de Profecia
12- O Tríplice Propósito da Profecia
13- A Missão Profética da Igreja

Ciências Bíblicas


Não perca dias 09 e 10/07 -
Seminário de Ciências Bíblicas da Sociedade Bíblica do Brasil.
inscrições na livraria ELSHADAY, ao valor de 10,00r$.
VAGAS LIMITADAS.

Um dos preletores será o pr.Altair Germano - pastor, teólogo, pedagogo, escritor, Vice-Presidente do Conselho de Educação e Cultura da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), Relator do Conselho de Doutrina da União de Ministros das Assembleias de Deus no Nordeste (UMADENE), 2º Vice-Presidente do Diretório Estadual da Sociedade Bíblica do Brasil em Pernambuco, Coordenador Pedagógico e Professor da Faculdade Teológica da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE (FATEADAL).


veja a materia do site Contilnet.com

Promovido pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), evento acontecerá nos dias 09 e 10 de julho. As vagas são limitadas.

Uma nova edição do Seminário de Ciências Bíblicas será realizada nos dias 09 e 10 de julho, em Rio Branco (AC). Iniciativa da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o evento tem como objetivo transmitir às igrejas e lideranças cristãs um pouco do conhecimento envolvido na arte de traduzir a Bíblia Sagrada e difundir os seus ensinamentos a todas as pessoas. Realizados desde ano 2000, esses encontros já alcançaram milhares de pastores, líderes cristãos, obreiros, professores de escola bíblica e seminaristas.

Para celebrar esta primeira década de existência, a SBB promoverá diversas edições do evento ao longo de 2010, com palestras diferenciadas. A edição de Rio Branco terá cinco painéis, além de espaço para uma sessão de perguntas e respostas. O Seminário de Ciências Bíblicas será realizado na Escola Armando Nogueira, no Distrito Industrial da capital do Acre. O investimento é de R$ 10,00. Mais informações pelo telefone 0800-727-8888 (SBB). Confira, a seguir, a programação completa do evento:

09 DE JULHO – DAS 19H30 ÀS 22H30

- História da Bíblia: dos manuscritos aos formatos digitais – Erní Walter Seibert: Esta palestra traz dados atuais sobre a tradução e distribuição da Bíblia e, ao mesmo, faz uma resenha histórica de como este livro chegou até nós. Nesta resenha histórica são apresentados os pontos altos da história da tradução do das Escrituras Sagradas.
Erní Walter Seibert: Doutor em Ciências da Religião e mestre em Teologia, é autor de quatro livros. Tem ainda trabalhos publicados em vários livros e revistas especializados em Teologia e Ciências da Religião, tanto no Brasil como no exterior. É secretário de Comunicação e Ação Social da SBB e diretor do Museu da Bíblia de São Paulo e do Centro Cultural da Bíblia no Rio de Janeiro.

- A Bíblia e a Educação: A palestra tratará sobre os métodos educacionais, objetivos e conteúdos aplicados pelo povo de Deus no Antigo e Novo Testamento, destacando a importância da educação na formação e desenvolvimento integral do indivíduo, tendo como fundamento os princípios da Palavra de Deus, que são verdades universais e eternas, e a participação da sociedade, da igreja e da família neste processo nos dias atuais.
Altair Germano: Bacharel em Teologia, Licenciado em Pedagogia com Habilitação em Administração Escolar, especialista em Educação Cristã e em Psicopedagogia, mestre em Teologia com ênfase em Liderança e Ministério Pastoral, pastor auxiliar na Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE, vice-presidente do Conselho de Educação e Cultura da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil), 1º vice-presidente do Diretório Estadual da Sociedade Bíblica do Brasil em Pernambuco, conferencista e escritor.

10 DE JULHO – Das 8h30 às 17h00

- A função da Bíblia na igreja local – Erní Walter Seibert: A partir da constatação de que o conhecimento da Palavra de Deus ainda é pequeno, a palestra chama atenção para a necessidade do uso da Bíblia na vida das igrejas, ensinando, por exemplo, como podem se valer da fartura de materiais bíblicos em suas atividades de evangelização.

- Interpretação da Bíblia para o homem de hoje – Lécio Domas: A interpretação da Bíblia deve levar em consideração as distâncias cronológica, geográfica e cultural. É preciso atender a alguns requisitos como, por exemplo, crer que a Bíblia é a Palavra de Deus. Faz-se necessário, também, que sejam atendidos determinados princípios: contexto; histórico, gramatical, teológico e prático.
Lécio Dornas: É especialista em Educação Religiosa, escritor com 15 obras publicadas e professor de Teologia do Antigo Testamento, Liderança e Métodos de Estudos Bíblicos há 20 anos. Membro da Diretoria Nacional da SBB e do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira, é docente nacional e credenciador de docentes do Instituto Haggai do Brasil e pastor batista há 21 anos, atualmente pastoreando a Igreja Batista Dois de Julho, em Salvador (BA).
- O trabalho da SBB – Erní Walter Seibert: Organização sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, assistencial, educativa e cultural, a SBB tem por finalidade traduzir, produzir e distribuir a Bíblia Sagrada. Destaque para os programas sociais da entidade, voltados especialmente para as populações em situação de risco social, e o programa sócio-evangelizador, mantido pela SBB há mais de 30 anos.

Seminário de Ciências Bíblicas de Rio Branco - AC
Data: 09 e 10 de julho de 2010
Local: Escola Armando Nogueira
Endereço: Estrada Dias Martins, 1.494 – Distrito Industrial Rio Branco - AC
Horário: 09/07 – Das 19h30 às 22h30
10/07 – Das 8h30 às 17h00
Investimento: R$ 10,00
Informações: 0800-727-8888 – Sociedade Bíblica do Brasil
Contatos com a imprensa: Oficina da Palavra: (11) 3289-2139 – Denise Lima: (11) 9611-7381 – Luciana Garbelini: (11) 9292-2131

Engraçadas na COPA

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Semana

Olá paz do senhor a tds

mais uma semana, e confesso que estou sem muita coragem para escrever aqui. As dificuldades se achegam e o que penso é somente em clamar a DEUS, pela sua graça e misericordia.

Assim como o apostulo Paulo peço oração para os irmãos.

paz!

sábado, 26 de junho de 2010

Paz

Oláaaa
aa paz do senhor!

Ei
muita atenção

"quem não ajunta comigo espalha"

neh verdade?

terça-feira, 22 de junho de 2010

Projetos do coração de DEUS


Gente crente!
O presb. Moisés Sampaio, tem um lindo projeto para colocar em prática este ano.

leia:


Cruzadas Evangelísticas Jesus é a Solução

Neste ano de 2010, planejamos promover 15 grandes cruzadas Jesus é a Solução na cidade de Rio Branco. Já estamos na fase da seleção dos bairros onde estacionaremos o carro de som.
Pregaremos a Palavra de Deus. Proclamaremos a libertação das drogas, vícios, violência e toda sorte de pecados. Temos a certeza de que Deus libertará as pessoas no meio da rua e você pode nos ajudar.
Deus já está levantando pessoas e enviando recursos, mas contamos com sua ajuda. Se você desejar colaborar, entre em contado conosco. Nós temos o projeto e a vontade de executa-lo, você entra com o apoio. Estaremos alugando um carro de som (estilo trio-elétrico) para nas sextas e sábados pregar a salvação ao ar-livre.

Você que é pastor e tem interesse em participar com a sua igreja, ligue para nós ou mande um e-mail para moises.sampaio@ac.gov.br ou contato@moisessampaio.com.

Se você quer ajudar ou conhece alguém que queira ajudar ligue para 68-9971-3335 ou 3229-3435.

...........

comentario da blogueira:

não deixe de orar e claro agir também em prol desse projeto, patrocinando, emprestando o carro de som, fazendo um preço camarada enfim, deixa DEUS te usar para abençoar as vidas.

Com licença da expressão Presbitero: - eita cabra doido por JESUS
é isso ai Pr. Moisés, conte comigo!


renovo

“mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão.” (Isaias 40:31)

Dias longos e desertos sem fim

Chega um momento da vida do cristão, que o trem acocha e aperta e o deserto se aloonga. Acho que estou vivendo um tempo assim. Mas me regozijo no Senhor quando leio 2 co. 4: 8-11

"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados: perplexos, mas não desanimados;
Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;
Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossos corpos;
E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também em a nossa carne mortal."

Quando no meu orkut ponho vivendo o tempo de DAVI, é pq realmente estou matando gigantes, nesses dias, gigantes externos, materiais, espirituais, e psicologicos.
Rogo a oração de tds.

Sei que vamos ao deserto não para morrer por lá e sim para sermos aprovados com grande honra de gloria.

Otima semana para todos
nao deixem de visitar o Blog da Juventude Forte-Mocidade Fonte de Água Viva
www.acreparacristo.blogspot.com

lá é oteeeeemuuu
;)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Jesus e a Copa

Fique realmente chocada pela força e patriotismo que Brasileiros demonstram nestes dias de jogos da seleção do brasileira. São casas ornamentadas, ruas, bandeiras, todos com a camisa da seleção, uma defesa patriotica do pais.

Imaginei, toda aquela vibração, quando uma alma se rende a JESUS, imaginei aquela vibração quando alguem consegue dizer NÃO AO PECADO, imaginei aquela organização todos os domingos para ir a IGREJA, imaginei toda aquela PREPARAÇÃO para se achegar a DEUS, E RECEBER e visita do espirito santo. aleluias..

Fiquei raciocinando com meus botões, como agimos errados na presença de DEUS.

São tantos preparativos para assistir um jogo da seleção, mais vamos de qualquer jeito para a igreja, e não nos preparamos para entrar na PRESENÇA DO REI DOS REIS.

Faço um comparativo, do jogo da seleção e um culto em uma igreja lá do bairro aviário. Em pleno termino do culto, momento de oração forte da campanha de libertação, crentes rindo, brincando, olhos abertos, espirito de adoração estava longe da vida de alguns.

"Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.Mateus 11 : 5"

VOCE PODE PULAR DA CADEIRA AI OU VIBRAR COMO SE FOSSE UM GOL DE KAKÁ?

acredito que vc não fez isso.o q é lamentável.


misericordia, é só isso que peço ao meu DEUS, por darmos mais valor a coisas efêmeras e que em nada nos edificam..





P.S desculpem os erros ortograficos, agora tenho q sair para o trabalho, daqui a pouco volto para revisar.
abç
e paz de cristo

terça-feira, 15 de junho de 2010

Feridão

Bom feriado a todos os Acrianos, ou Acreanos, que nesta data estão elevados a categoria de ESTADO.

Uma solenidade cívico-militar no início desta manhã deesta terça-feira, 15, marcou a data em que se comemora a elevação do território do Acre a Estado com a substituição da bandeira do mastro da Gameleira, atividade regulamentada por decreto assinado pelo governador Binho Marques em 2008.



Melhor ainda é sabe que hj também tem Brasilzãooooo na copa

eu ainda no trabalho...

mais não perco a esperança de ir logo pra casa
bjocas

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Refllita também

“Penso que minha filosofia seja esta:

tudo está errado até que Deus endireite”.

a proposito

Alias adorei os novos Designssssss
que o blogger colocou a disposição, estava realmente precisando da um up.

Eu ainda não decidi se mudo a cara do CONSIDERANDO.
Gosto de mudanças, mais aindan ao sei não
e você acha q eu devo mudar o layout?

cometa! :)

Companherada

OLá pessoas!

acabei de chegar de mais uma aula da EETAD. Estamos aprendendo sobre as Epistolas Paulinas II, e mais uma discursão quebrou cabeças lá na sala de aula. Pergunto: No periodo de tribulação o Espirito Santo, continuará agindo na terra?

Bem os teologos de plantão começaram a recitar versiculos e mais versiculos biblicos todos em busca de um concensso.

Na verdade opnião é mais ou menos assim; cada qual no seu quadrado, e cada um tem a sua, neh? mais o nosso professor Presb. Tadeu, usou uma explicaçaõ sobre metafisica e ciencia, para uma elegantemente dizer que não queria mais debater o assunto e assim continuar atrazando a aula.

Com toda a licença da palavra, o Prof. foi lisoooooo
rsrs

enfim, minutos depoois depois tdos fizemos as provas e fomos embora para nossas casas.

E nesta terça feira aqui no acre é feriadão, dia do Estado, e pra completar jogo da seleção, vou ter que trabalhar mais ainda não sei como, vou ter tirar leite de pedra, ou como se diz na linguem popular jornalistica: vou ter que parir duas materias... rsr

no mais td na santa paz
orem por nos

abç

sábado, 12 de junho de 2010

EBD-JOVENS


Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Mestre
Produzidos pelo Setor de Educação Cristã CPAD

Lição 11 - A Excelência do Ministério


Leitura Bíblicaem Classe
Jeremias 45.1-5


Introdução
I. Quem era Baruque
II. A coragem e o zelo de Baruque
III. A expectativa de Baruque é frustrada
IV. Sucesso ou Excelência



Conclusão

PADRÃO ÉTICO CRISTÃO: UMA PRIORIDADE NO MINISTÉRIO PASTORAL?

O contexto hodierno do cenário evangélico brasileiro, no que diz respeito à ética ministerial, clama por uma profunda reflexão de acordo com os pilares que sustentam o modelo de vida proposto pelo o reino de Deus, isto é, o seu padrão ético.

À guisa de uma definição mais expressiva sobre a ética, poderíamos propor “a conduta ideal do indíviduo” [1]. Naturalmente, é unânime, no contexto social, que o indivíduo exerça uma conduta exemplar. Porém, o problema ético surge quando ocorre a tensão entre o comportamento ideal e a conduta defeituosa.

O “inter-relacionamento do nosso ser” [2] definirá a veracidade de caráter. Nessa relação, a tensão entre o comportamento ideal e a conduta defeituosa é inevitável, assim como não podemos impedir o raiar da luz solar, as verdades de nossas ações soam como um sino que tine numa cidade.

É nessa linha de reflexão que o texto do Pr. John Macarthur Jr. confronta o comportamento ideal no ministério pastoral e a conduta defeituosa em seu exercício:

O modelo de Liderança Eclesíastica da “Terceira Geração”

[...] A responsabilidade dos líderes da igreja é o assunto de 13.17 (epístola aos Hebreus), que trata especificamente de sua responsabilidade como exemplos. O autor instrui os leitores: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver”. Examinar o resultado de seu estilo de vida (de anastrophe) e imitar (imperativo presente de mimeomai) a perseverança deles na fé são esforços paralelos. Tais exemplos concretos harmonizam-se com a ênfase total da epístola, que é permanecer.
A mensagem correspondente de Pedro dirigi-se diretamente aos líderes da igreja. Ele ordena aos presbíteros: “Apascentai o rebanho de Deus que está em vós” (2 Pe 5.2; conforme Jo 21.15-17; At 20.28). Esse é o único imperativo na passagem, mas seu sentido imperativo permeia todas as qualificações seguintes (vv. 2,3). Três contrastes destacam os motivos da liderança espiritual:

1. Os líderes espirituais não devem servir por constrangimentos humanos, mas por compromissos divinos.

2. Os líderes espirituais não devem ministrar por lucros injustos, mas com zelo espiritual.

3. Os líderes espirituais não devem liderar como ditadores orgulhosos, mas como humildes exemplos.

Os pastores do Novo Testamento têm a obrigação impositiva de ser um modelo ético para o rebanho de Deus. As ovelhas, por sua vez, devem imitar a vida de seus líderes [grifo nosso] (Hb 13.7), o que exige humildade genuína (1 Pe 5.5,6).

O Modelo da Igreja para a Igreja

[...] Hebreus 6.12 também fala da exemplificação. Os exemplos aqui são todos os que “pela fé e paciência, herdam as promessas”. O autor urge com os leitores dessa epístola a se alistarem em suas fileiras por meio de uma conduta de imitação.
Michaelis está correto ao afirmar:

A exortação em 3 João 11: [memimou to kakon Allá to agathon, “Não sigas o mal, mas o bem”] é geral, mas está estreitamente relacionada com o que a antecede e sucede. Gaio não deve ser enredado por Diótrefes, que é denunciado em v. 9. Ele deve seguir Demétrio, que é louvado no v. 12.

As Escrituras nunca afirmam que os crentes devem imitar uma abstração. Como aqui, o exemplo é sempre concreto. Essa passagem fornece tanto o padrão negativo como o positivo.
O povo de Deus deve imitar não apenas outros discípulos maduros, mas também as pessoas que Deus lhe ofertou por líderes espirituais (Ef 4.11-13). Estes, por sua vez, em harmonia com os testemunhos do círculo apostólico, devem esforça-se para ser como Cristo, o único que manifesta a imagem moral perfeita de Deus. No Novo Testamento, o elo vital da imitação ética representada nos líderes da igreja é particularmente evidente. Por conseguinte, para redescobrir o ministério pastoral de acordo com a Palavra de Deus, é preciso que os líderes eclesiásticos de hoje não só reconheçam e ensinem a prioridade da exemplificação moral, mas aceitem esse desafio maior pessoalmente e, por sua graça, vivam como exemplos diante das ovelhas de Deus e de um mundo crítico, pronto para levantar uma acusação de hipocrisia [grifo nosso]. [3]

O modelo proposto por Cristo para o exercício de uma ética cristã incube os representantes do reino a desempenharem um papel que protagonize a excelência do reino, e jamais o sucesso individual.

No cenário evangélico brasileiro é possível desempenhar esse papel?

Reflexão:

“Devemos não só nos perguntar: O que estamos sendo?, mas também: Estamos sendo em direção a quê?” (JOHN, Cheryl e WHITE, Vardaman)

Referência Bibliográfica
MACARTHUR, John Jr. Ministério Pastoral. Rio de Janeiro, CPAD, 4ª ed. 2004
Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro, CPAD, 2001
CHAMPLIN, R. N.; BENTES, J. M. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. São Paulo, Editora Candeia, 1995, vol. 2

[1] CHAMPLIN, R. N.; BENTES, J. M. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. São Paulo, Editora Candeia, 1995, vol. 2, p. 554.

[2] Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro, CPAD, 2001, p.299.

[3] MACARTHUR, John Jr. Ministério Pastoral. Rio de Janeiro, CPAD, 4ª ed. 2004, p. 289-291.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

boa sexta

Olá amdos amigos
perdão, esta semana muita correria,
oraçaõ, estudo, igreja, trabalho secular
enfim
hoje tou muito feliz, é nosso encontro de mocidade
A NOITE DOS ESPELHOS COM CERTEZA SERÁ BENÇÃO..
depois conto como foi..

bjus até daqui a pouco

;)
DEUS VOZ ABENÇOE TREMENDAMENTE

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Vamos transformar em Ação de Graças


A Síndrome do “Arquivo Confidencial”


Uma mania de igrejas pentecostais, especialmente das Assembleias de Deus, é a comemoração interminável do aniversário dos pastores nos templos e horários dos cultos. Os cultos (?) falam da vida desses pastores, além de homenagens dos familiares, amigos e membros da igreja. Normalmente são duas ou três horas de homenagens e mais homenagens. É o que eu chamo de síndrome do “Arquivo Confidencial”.

Quando eu era criança, eu assistia o Domingão do Faustão, na Rede Globo (como criança eu não tinha muito o que fazer, além dos exercícios escolares, videogame e televisão). Nesse programa existia um quadro chamado “Arquivo Confidencial”. Lá, artistas globais recebiam depoimentos de parentes e amigos exaltando suas qualidades. Ainda criança me via nesse quadro meloso. Depois, vendo comunidades no Orkut, me deparei com uma chamada: “Me via no Arquivo Confidencial”, ou seja, não era somente eu que tinha esse sentimento narcisista. Parece que boa parte das crianças sonhavam com a fama consolidada naquele “arquivo” do Domingão.

Agora, descubro que os pastores também se viam naquele quadro do Faustão. Para isso, eles criaram aquelas intermináveis festas de aniversário. Não, não sou contra a comemoração do aniversário de ninguém, mas só me estranha o fato que nas Assembleias de Deus o aniversário dos pastores já entrou na agenda anual das igrejas, assim como o Natal, o Dia das Mães e o retiro de Carnaval, por exemplo.

No fundo, essas manifestações são parte da crença inconsciente de que os pastores evangélicos são sacerdotes no estilo veterotestamentário ou católico romano. Recebem, por mais que se negue, um tratamento diferenciado dos demais membros da igreja, inclusive aqueles que muitas vezes dedicam tempo e esforço semelhante aos seus líderes.

Quando isso mudará? Difícil responder. Ninguém quer perder uma boquinha; além de brigadeiros, beijinhos, bolos, refrigerantes e massagem no ego.


(Extraido do Blog Teologia Pentecostal, texto de



Jesus e Você

Paz do Senhor Jesus Cristo esteja sobre a tua vida.

No evangelho de Marcos 14:44, relata o momento em que Jesus foi preso, neste momento também, ficou marcada a traição de Judas.

“O traidor tinha lhes dado esta senha: Aquele a quem eu beijar, é esse; prendeio-o e levai-o com segurança... o chamado Judas aproximou-se de Jesus para o beijar. Jesus, porém lhe disse: Judas, com um beijo trais o filho de Deus?” Marcos 14:44

Naquela época era dificil diferenciar quem eram os discipulos de Jesus e o proprio Jesus, por isso que foi nescessario este combinado para que os soldados romanos, pudessem reconehcer e prender nosso Jesus.

Como profetiza de Deus, neste momento, te confronto, e pergunto:
Quando as pessoas olham pra você, elas conseguem ver Jesus?
O que elas vêem; um homem ou uma mulher de DEUS?

Quero lhe convidar para que apartir de agora, você inensifique sua busca para se tornar como jesus..

amém igreja?

sábado, 5 de junho de 2010

EBD


Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Mestre
Produzidos pelo Setor de Educação Cristã CPAD

Subsídios extras para a lição Jeremias, esperança em tempos de crise

Lição 10 - O Valor da temperança


Leitura Bíblicaem Classe
Jeremias 35.1-5, 8, 18, 19


Introdução
I. A origem dos recabitas
II. O estilo de vida dos recabitas
III. O exemplo dos recabitas

TRADIÇÃO: UMA ABORDAGEM EQUILIBRADA


O pós-modernismo é considerado, por alguns estudiosos, um tempo que marca a transição do modernismo para o tempo pós-industrial. Suas características são conhecidas pelas tentativas de desconstruções e relativizações com temas que supostamente eram inquestionáveis. As influências pós-modernas abrangem várias esferas, e uma delas que iremos abordar é a linguística.

Algumas palavras sofreram alterações ou influências normais ao longo dos séculos como, por exemplo, Anátema, que anteriormente era designada como coisa consagrada a outro deus de acordo com o contexto hebraico, mas o uso de acordo com o contexto helênico designou um objeto de maldição[1]. Hoje é impossível alguém atribuir outro significado, ao termo anátema, que não seja maldição. O progresso linguístico em qualquer vernáculo é natural e necessário. Diagnosticando o desenvolvimento da sociedade, é preciso que o vocabulário acompanhe-o naturalmente.

Os termos bíblicos fazem parte da língua nativa de cada povo que tem uma tradução disponível em seu idioma. E é comum que o exercício da pregação utilize essa língua para comunicar verdades reveladas. Nesse momento, esse exercício é representado por uma carga semântica local e vivencial do povo que faz uso de sua língua nativa.

É nesse contexto que se deve refletir até que ponto a palavra da língua nativa sofre um progresso natural do desenvolvimento do vernáculo nativo ou sofre um “preconceito linguístico” como resultado da desconstrução e relativização do pós-modernismo.

Uma das palavras-chave da presente lição é Tradição. Ela se acomoda perfeitamente no desenvolvimento preconceituoso da semantização que ela propõe hoje. As pessoas não se sentem a vontade ao ouvir a ideia de retorno à tradição ou o convite à conservação da tradição deixada pelos antigos. Veja o que os principais dicionários falam acerca do significado do termo tradição:

“Ato ou efeito de transmitir ou entregar; Conjunto dos valores morais, espirituais etc., de uma geração para outra”.[2]

“A palavra grega paradosis ocorre 13 vezes no NT e é usada no sentido de um ensino que é transmitido de uma pessoa ou grupo para uma pessoa ou grupo.” [3]

“Paradosis (gr.) condução para baixo, transmissão à geração seguinte ou condução em passagem seguinte, passagem adiante, transmissão denota tradição, e, consequentemente, por metonímia: os ensinos dos rabinos (Mt 15.2,3,6); os ensinos apóstolicos (1 Co 11.2), podendo aludir a doutrina cristã em geral para afirmar a autoridade divina”[4]

As definições apresentadas demonstram a semantização do termo em referência a conservação, permanência, continuidade e defesa dos ensinamentos adequados para uma comunidade. E no caso da igreja de Cristo, o exercício da irreversibilidade dos padrões ensinados por Cristo deve ser “o sonho de consumo” de cada crente.

Para discutir o real problema pejorativo do termo tradição, precisa-se primeiramente conceituar e buscar na sua origem o que os primeiros teóricos quiseram dizer com esse termo, conforme fizemos, anteriormente, de acordo com a esfera cristã. Porém, é preciso também entender o contexto histórico que a igreja se encontra hoje. No caso do Brasil, há um movimento permanente contra as formas instituicionais estabelecidas e um sentimento de procura de “libertação” de qualquer instituição. Há uma crise instalada nas instituições brasileiras, sejam elas políticas, sociais, privadas ou até religiosas. Isso denota naturalmente o esfriamento de qualquer perspectiva sustentável em relação à relevância das instituições.

Os principais movimentos de influências globais do pensamento (Renascentismo, Iluminismo, Revolução Francesa, etc) levaram a ideia ao extremo da desconstrução do absoluto e tudo o que denota o estabelecimento da verdade. Os termos Conservadores, Fundamentalistas ou Tradicionais são permanentemente enxovalhados por uma onda de “pensamentos libertadores” que estão dispostos a resolver as crises institucionais estabelecendo a anarquia. Mas o que é Tradicionalismo ou Conservadorismo? A resposta a essa pergunta vai depender dos pressupostos que os seus proponentes carregam em suas cosmovisões.

É claro que o extremo, como houve no tempo de Jesus, da tradição segundo o sentimento humano, foi opressor e manipulador. Nesse contexto a tradição não trazia a cura da alma, sendo uma realidade frustrante em muitos arraias ainda hoje. Jesus e os apóstolos sentiram isso na pele. Mas esse sofrimento não influenciou em nada o entendimento dos primeiros discípulos na cultivação sadia dos princípios ensinados pelo seu Senhor, conforme nos relata John Stott: “Lemos que imediatamente depois do Dia de Pentecoste, os crentes cheios do Espírito estavam unânimes todos os dias no Templo, partindo o pão em casa, At 2.46. Assim, eles não rejeitaram imediatamente a igreja institucional” [5].
Sobre isso Stott continua:



Todos nós concordamos em que o Espírito Santo pode ser (e às vezes tem sido) aprisionado por nossas estruturas e sufocado por nossas formalidades. Contudo, há algo a ser dito em relação ao outro extremo. Liberdade não é sinônimo de anarquia. [6]


Justificando que nem toda tradição deve ser lançada fora, Stott sentencia:



Mas não podemos refugiar-nos na doutrina da invisibilidade da Igreja verdadeira para negar que Jesus Cristo tinha em mente que seu povo fosse visto e conhecido como tal. Ele mesmo insistiu no batismo como cerimônia de iniciação na sua Igreja, e batismo é um ato visível e público. Ele também institui a Santa Ceia como a refeição da comunhão cristã, pela qual a Igreja identifica a si mesma e exercita disciplina sobre os seus membros. [7]



Há questões que não podem ser negociadas, como, por exemplo, a vida em comunhão de uma comunidade (congregar é uma necessidade dos salvos em Cristo para edificação de sua fé), as verdades centrais da fé (Criação, Jesus Cristo, Salvação mediante a fé, Batismo no Espírito Santo, a Volta do Senhor, etc.) só para citar algumas.

Por outro lado a igreja não pode dar ênfase só a tradição (doutrina) em detrimento do amor. Em Apocalipse o Senhor Jesus repreende a igreja de Tiatira porque, apesar de exercer o amor e o serviço exemplarmente, tolerava os ensinos de Jezabel e relaxava com o cuidado da conservação moral daquela igreja. Porém, a igreja de Éfeso era poderosa na ortodoxia e na moral, mas foi repreendida pelo Senhor porque se afastara do primeiro Amor.

Portanto, a Doutrina distinta do Amor gera uma igreja fria e o Amor desprovido de Doutrina gera uma igreja vulnerável. É preciso que o nosso cristianismo seja equilibrado nos dias hodiernos.

Referência Bibliográfica

DICIONÁRIO BÍBLICO WYCLIFFE. Rio de Janeiro, CPAD.
DICIONÁRIO VINE. Rio de Janeiro, CPAD.
DICIONÁRIO HOUAISS da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, EDITORA OBJETIVA.
STOTT, John R. W. Cristianismo Equilibrado. Rio de Janeiro, CPAD.




[1] DICIONÁRIO BÍBLICO WYCLIFFE. Rio de Janeiro, CPAD, p. 100.

[2] DICIONÁRIO HOUAISS da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, EDITORA OBJETIVA p. 2745.

[3] DICIONÁRIO BÍBLICO WYCLIFFE, p. 1955. O termo tinha dois significados: o primeiro se referia a interpretação oral do AT (Lei de Moisés, ensino de anciões e rabis judeus) e o segundo num sentido mais amplo onde o apóstolo Paulo usa o termo para denotar os seus ensinos (1 Co 11.2; 2 Ts 3.6).

[4] DICIONÁRIO VINE. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1030.

[5] STOT, John R. W. Cristianismo Equilibrado. Rio de Janeiro, CPAD, p. 53.

[6] STOT, p. 49.

[7] Stot, p. 49.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

EU não marcho pra Gizuis, eu ANDO COM DEUS



Todos que lêem este blog, podem perceber que algumas posições minhas são bem criticas quando se trata de Evangelho, Cristo, Igreja, Salvação. Não é por causa da minha formação doutrinária ser Assembleiana, e sim por ser Cristã.

O “espírito critico”, é uma das razões que nos faz correr em busca de uma verdade aceitável,,ou porque não dizer ABSOLUTA. Alguns dizem que não existe verdade Absoluta não existe. Eu discordo. Deus é uma verdade ABSOLUTA, ele não muda, ELE ERA, ELE É, E SERÁ ETERNAMENTE.

“Porque desde a antigüidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que opera a favor daquele que por ele espera”. Is 64: 4

Agora quero exercer meu “espírito critico”, sobre um grande movimento nascido em 1987, na cidade de Londres, e que se espalhou por todo o mundo, em 1994.

“A PROPOSTA ESPIRITUAL”

A Marcha tem como fundamento bíblico as passagens de Êxodo 14, Josué 6 e João 13:35: "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros". Neste evento há uma oportunidade única de viver este momento de comunhão entre irmãos de todas as denominações. A Marcha para Jesus também é um evento que permite expressar ao mundo a comunhão dos cristãos e também da fé em Jesus Cristo. (FONTE: www.marchaparajesus.com.br/2010/historia)

Como a maioria das coisas, que são criadas com propósitos, e com o passar dos anos, se contaminam e se eximem do propósito no qual foram criadas, a Marcha para Jesus perdeu o objetivo real da sua existência, assim também como a criação do homem, que se desviou do propósito do criador.

Mas vamos voltar ao tema central deste artigo: a marcha para Jesus, perdeu muito em seu objetivo e qualidade. Na ultima quinta feira, dia 3 de junho, feriado nacional em comemoração a uma data cristã, os evangélicos realizam a marcha nas ruas do pais. Eu fiz a cobertura jornalística deste evento aqui na capital do meu estado.

Estava eu e o cinegrafista chegando ao local da concentração dos “crentes”, e um comentário que tive que ouvir dele: é carnaval? . Fiquei com um sorriso amarelo, sem saber o que dizer. Na verdade dois trios, ou seja, dois carros de som, com musicas que nos lembravam os trios elétricos do carnaval de salvador. Pessoas dançando e pulando movidos pelo barulho e ritmos musicais. Isso na verdade remete a outro assunto que por hora não vou abordar.

De acordo com o site de noticias G1 “O tema desta 18ª Marcha para Jesus foi “Marchando sobre as águas”. Os fiéis utilizaram uma camiseta verde e amarelo em referência à Copa do Mundo. Mais de 600 caravanas de vários lugares do país chegaram a São Paulo para a festa evangélica. Ao todo, 34 bandas e 14 trios elétricos animam o público. A organização da Marcha para Jesus estima em 5 milhões o número de pessoas que participam do evento.”

Fiquei imaginando o espírito santo ali naquele meio. Entrevistei alguns fieis sobre o que representava a marcha, e porque eles estavam ali; as respostas foram quase unanimes: “é um ato profético sobre a cidade......”

Por coincidência, ao entrevistas o organizar do evento aqui no Acre, o discurso era o mesmo, uma prova de massificação de opiniões que tem sido plantados dentro das igrejas.

E como já imaginava a marcha para Jesus contou com a presença de vários candidatos, da igreja e também de outros segmentos sociais.

A marcha é para Jesus ou um palanque político, para exaltação de pseudo-s ungidos de DEUS, levantados para governar sobre salvos e ímpios?

Em sua maioria são homens que não tem o mínimo senso de respeito ao ser humano, e que em dias como este vêem votos e não pessoas. Atualmente o povo evangélico tem estendido seus arraiais até mesmo para a política e conquistando com a benção de DEUS grande representatividade. Não sou contra á candidatos da igreja, mais sim contra pseudo-s crentes que em ano de eleição quer vestir a roupa de cordeiro e dividir o alta do senhor com seus interesses políticos.

A igreja precisa acordar e dar a resposta nas urnas para que esses que apóiam o trafico de drogas, a prostituição infantil, e aborto, não cheguem ao poder e legislar nossa nação.

Encerro dizendo que; não é necessário fazer uma marcha para Jesus, com a participação de milhões de pessoas para mostrar a força, e a comunhão do povo de Deus. A melhor forma de mostrar isso para o mundo é testemunhando o SENHOR JESUS no dia a dia, com uma conduta ilibada, com caráter e amor. Isso sim faz a diferença na vida de um cristão nesse mundo que vivemos.

Eu não marcho para GIZUIZ, eu ando com DEUS.

Paz

Chrisna Lima

(fotos do manifesto do site: estrangeira.wordpress.com )


Considerando


Amados (as), me perdoem pelo post anterior, foi um Desabafo.
Agora quero saudar-lhe com a Paz do Nosso SENHOR JESUS CRISTO.

Deixei o blog quase uma semana sem postar nada, pensando em você. Sim, porque assim vc poderia explorar mais o espaço, procurando algo interessante para ler. Eu espero sinceramente que tenha encontrado. Lhe convido a comentar sempre que possivel, caso goste, caso não goste da abordagem do assunto. O que aprendi em 4 anos de Jornalismo, é que todas as opniões são validas e colaboram juntamente para a elaboração de questões que se aproximem da verdade absoluta.

No mais, boa sexta a tds
abçs

As tramas dos Tramados




Todos contra a Fofoca!

Considerando: Segundo o Houaiss:

Fofoca: Comentário maldoso sobre a vida alheia; mexerico; intriga. Afirmação sem bases concretas; especulação.

Desabafar: Dizer o que sente ou pensa a alguém.

Delatar: Denunciar como responsável pelo crime. Revelar. Deixar perceber.

Segundo o Dicionário inFormal:

171: Estelionatário (termo deriva ao fazer referência ao codigo penal numero 171). Mentiroso. Malandro. Falcatrua.

X9: Dedo-duro, fofoqueiro.

Leva-e-traz: Boateiro. Fuxiqueiro.

Dedurar: Contar. Entregar.

Eu louvo a DEUS, pela internet, e por espaços como este, onde podemos falar para o mundo, o que muitas pessoas não se dão o trabalho de ouvir. Grande maldição, que se infiltra no meio de nossas igrejas, é a FOFOCA. Uns a chamam de espirito, outros a amarram, queimam e expulsam do meio da Noiva do Cordeiro, no entanto o que vemos no templo do Senhor, são pessoas que se adequam, ou se enquadram a uma dessas definições acima citadas.

" Se Sicrano escuta algo, participando ou não, conta para terceiros e começa a especular sobre o assunto e atitudes das pessoas envolvidas na conversa escutada, isto é fofoca. Especulação."

"Duas caras. Aquele que é falso, mentiroso, sacana. Vive falando mal de Beltrano pelas costas, mas na frente rasga seda até não aguentar mais. Uma hora está do seu lado, na outra já está do lado do seu inimigo e assim segue. Não dá pra confiar."
Esses comentarios são de autoria de Marcelo Dourado, que eu encontrei em um dos milhoes blogs e paginas pessoais nesse imenso mundo virtual. E esclareço que concordo e apoio tais conjunturas.
Vivemos em meio a uma crise de carater dentro da igreja, Vou mais além, falta de caracter e personalidade. Muitos são susbservientes e não conseguem ter opinião propria sobre alguem ou algo. É bem certo que não vivemos em um mar de opnião homogêneas, mais até então você chegar e compartilhar a opnião de outrem com alguem ou um grupo de pessoas no proposito de criticar, ou expor aquela pessoa, isso é obra da CARNE, por tanto tbm de Satanás. E DEUS não está nisso.

Em meio a igreja, deveriamos confirar de olhos vendados nos irmãos, lideres e pastores. Mais como confiar em alguem, se aquilo que voce fala aqui , minutos depois já está sendo diSceminado na igreja. E o pior é como aquela brincadeira do "telefone sem fio", nem sempre passam pra frente com a veracidade que foi falado. O que torna isso uma "fofoca"

O que falta é uma geração de pessoas, que tenham opnião propria, aqui não estou espiritualizando as coisas, falo de carater, de indole, algo que é independente do mundo espiritual. Como ia dizendo, precisamos de pessoas com opiniões proprias, e que sejam superiores as delatações ou criticas a alguem.

Fulano, chega pra mim, e fala maldozamente de outro, critica, e dai eu passo a discriminar a pessoa alvo da fofoca. Não, não deve ser assim, eu tenho opnião propria, eu tenho a liberdade de continuar acreditandok, e gostando de alguem.

Mais muitos tem essa dificuldade, e passam justamente a discriminar alguem que foi alvo de maus falatorios.
Crentes façam juizo de valor, tenha opiniões proprias, não se deixem levar por disse me disse.

"
Quem não é comigo, é contra Mim"
Estas são palavras ditas pelo Senhor Jesus Cristo. Ele disse mais, disse que "quem comigo não ajunta, espalha".

Estou aprendendo
....

É triste, mas acontece assim mesmo, mas o mundo está assim mesmo, um engolindo o outro. Irmãos em Jesus, vamos batalhar para tocar os corações com o amor INCONDICIONAL de DEUS!!


e no mais
vamos crescer na GRAÇA e no CONHECIMENTO DE CRISTO.
Chrisna Lima*




segunda-feira, 31 de maio de 2010

A inveja é a arma dos incompetentes


Inveja é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materias como qualidades inerentes ao ser)e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem.


É um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que outrem seja melhor.

A origem latina da palavra inveja é "invidere" que significa "não ver". Com o tempo essa definição foi perdendo o sentido e começado a ser usado ao lado da palavra cobiça, que culminou, então, no sentido que temos hoje.

Os indivíduos disputam poder, riquezas e status, aqueles que possuem tais atributos sofrem do sentimento da inveja alheia dos que não possuem, que almejariam ter tais atributos. Isso em psicologia é denominado formação reativa: que é um mecanismo de defesa dos mais "fracos" contra os mais "fortes". (fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Inveja)


Entretanto, quero direcionar esse artigo a todos aqueles que tem manifestado esse terrível sentimento e:

1. Quando você manifesta a inveja, ocupa uma boa parte de seus pensamentos, palavras e tempo, gerando esse sentimento tão pobre e mesquinho, e se dá ao trabalho de dirigi-lo a alguém.

2. A inveja, se mostrando um sentimento vil, tem se transformado em um termômetro do sucesso e competência daquele a quem ela é dirigida. Já diz um ditado popular que não se atira pedras em árvores que não dão frutos.

3. Quem sofre a inveja se torna partícipe das aflições de Cristo, que também foi invejado.

4. Quem sofre a inveja se aproxima Deus, pois quando sofre com a inveja, é vendido pelos meus irmãos, mas Deus não lhe abandona.

5 Aquele que manifesta a inveja, se candidata ao cargo de Hamã, como puxador de cavalo para Mordekai, mais cedo ou mais tarde esse sentimento vai levá-lo a isso. Agora imagina onde a pessoa que sofre com tal sentimento vai estar assentado!?

6. Tal sentimento fortalece mais ainda a pessoa que está sofrendo. Crente fiel é igual a ovos, quanto mais bate, mais cresce.


Querido, as pessoas não tem que estar fazendo a obra de Deus da mesma forma que você ou outro faz, como numa linha de produção. Só pra agradar alguém ou barganhar uma posição mais elevada junto à liderança da igreja. Elas podem cumprir o ide do Mestre da forma que Ele lhes direcionar. O problema é que muitos não sabem conviver com as diferenças. Observe o texto abaixo:

E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue. Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim. Porque quem não é contra nós, é por nós. (MC 9:38,39)

Quer queiram ou não, os crentes fieis vão continuar fazendo a obra de Deus para glória do nome do Senhor. Não adianta tentar impedir seu progresso , perguntando se o irmão pode pregar aqui ou ali como se fosse indigno de assumir os púlpitos de nossas igrejas. Possivelmente, o irmão que está sofrendo a inveja, tem a ficha limpa diante do Senhor, ama a esposa, procura ser um bom pai, e antes de tudo, procura ser fiel a Deus. Lembre-se de uma coisa, se a porta fechar em um lugar, Deus abre em outro. Nesse momento valem as palavras de Jonh Wesley, "meu púlpito é o mundo".


O que a Bíblia diz sobre a inveja.

Existem 27 referências sobre a inveja, 13 no velho testamento e 14 no novo.

A inveja corrói o homem até a morte

GN 30:1 VENDO Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e disse a Jacó: Dá-me filhos, se não morro.

A inveja é podridão dos ossos - doença

PV 14:30 O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.

A inveja é uma fera difícil de se enfrentar

PV 27:4 O furor é cruel e a ira impetuosa, mas quem poderá enfrentar a inveja?

A inveja vem da observação do trabalho e sucesso alheio e é vaidade

EC 4:4 Também vi eu que todo o trabalho, e toda a destreza em obras, traz ao homem a inveja do seu próximo. Também isto é vaidade e aflição de espírito.

Deus tratará com o invejoso

EZ 35:11 Portanto, vivo eu, diz o Senhor DEUS, que procederei conforme a tua ira, e conforme a tua inveja, de que usaste, no teu ódio contra eles; e me farei conhecer entre eles, quando te julgar.

Até Jesus sofreu com a inveja

MT 27:18 Porque sabia que por inveja o haviam entregado.

O invejoso está contaminado no coração

(Marcos 7:21,22) - Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. (Marcos 7:23) - Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.

A inveja pode ser manifesta por aqueles que deveriam ser santos

MC 15:10 Porque ele bem sabia que por inveja os principais dos sacerdotes o tinham entregado.

AT 5:17 E, levantando-se o sumo sacerdote, e todos os que estavam com ele (e eram eles da seita dos saduceus), encheram-se de inveja,

A inveja prejudica o irmão, nos faz vende-lo como escravo barato ao pecado.

AT 7:9 E os patriarcas, movidos de inveja, venderam José para o Egito; mas Deus era com ele.

A inveja pode nos levar a blasfemar e a se levantar contra os servos de Deus

AT 13:45 Então os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava.

AT 17:5 Mas os judeus desobedientes, movidos de inveja, tomaram consigo alguns homens perversos, dentre os vadios e, ajuntando o povo, alvoroçaram a cidade, e assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para junto do povo.

O invejoso não tem o conhecimento de Deus

(Romanos 1:28,29) - E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;

Conselho da Bíblia sobre a inveja

RM 13:13 Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja.

A inveja denota a carnalidade

1CO 3:3 Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?


A inveja tem ministério próprio.

FP 1:15 Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;

A inveja é coisa do passado, de quando éramos perdidos

TT 3:3 Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.

Os invejosos trazem perturbação e executam a obra perversa de satanás.

TG 3:14 Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade.

TG 3:16 Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa.


Frases sobre Inveja

"A inveja é a amargura que se sofre por causa da felicidade alheia." (Cícero)
"A competição é a paixão das almas nobres; a inveja, o suplício das almas vis." (Jean-François Marmontel)
"A inveja não sabe esconder-se." (Luc de Clapiers, Marquês de Vauvenargues)
"Invejar é do queixoso e do doente; agradecer é do que está satisfeito." (Sêneca)
"A inveja nada mais é que o ódio à superioridade." (Paolo Mantegazza)
"O ciúme traduz o sentimento de propriedade, ao passo que a inveja mostra o instinto de roubo." (Autor desconhecido)
"O invejoso emagrece com a abundância do outro." (Horácio)
"A inveja consome o invejoso como a ferrugem o ferro." (Antistenes)
"Duas são as feras que em nós produzem mais danos: uma cruel e selvagem, a inveja; outra, mansa e doméstica, a adulação." (Juan Luis Vives)
"Os homens de mérito não precisam cuidar da sua fama; a inveja dos tolos e dos petulantes se encarrega de propagá-la."(Cándido Nocegal y Rodríguez de la Flor)
"A inveja é bastante justa, pois rói o invejoso." (Schottus)
"A inveja é pequena, mesquinha no seu modo de agir, mas gigantesca na sua intensidade." (Gustavo Barroso)
"Ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é querer que o outro não tenha." (Zuenir Ventura)
"Inveja é o ódio da felicidade alheia, ou dor que se sente no coração por causa do sucesso alheio." (Albertano da Brescia)
"A inveja é companheira da glória." (Cornélio Nepos)
"A inveja é sintoma de incompetência." (Autor desconhecido)
"Não há amizades, parentesco, qualidades nem grandezas que possam enfrentar o rigor da inveja." (Miguel de Cervantes)
"A peste ruim da inveja macula o nome ilibado." (Columbano)


Por Moisés Sampaio (www.moisessampaio.com)